Mil e uma utilidades de um Staffordshire Bull Terrier

04/07/2017 - 11:14

Forte, atlético e robusto, o Staff Bull possui habilidade, temperamento e fôlego para diferentes atividades. Veja algumas delas!
mudar essa legenda

mudar essa legenda

“Atleta, forte, rústico, de pelos curtos e temperamento equilibrado”, esses são os principais pontos que atraíram Paulo Roberto de Carvalho Cunha, do canil Lokan Terriers, de Cotia-SP, para a raça Staffordshire Bull Terrier. Há 14 anos criando Staff Bulls ou Staffies, como são carinhosamente chamados, Paulo descreve a raça como ideal para quem quer um companheiro compacto, de tamanho médio e que o acompanhe em diferentes atividades. Versátil, excelente atleta e detentor de mandíbula poderosa, esse robusto cão tem sido usado em muitas funções e esportes pelo mundo. Desde cão de companhia e babá – característica citada, inclusive, no padrão oficial da raça – até atividades como IPO, agility, entre outras, o Staff Bull encara com primazia. “Já vi até alguns Staffies que, por conviverem com cães de guarda, exerciam a atividade imitando o companheiro canino”, aponta Paulo.

Como prova da flexibilidade da raça, o YouTube está repleto de vídeos que mostram o Staffordshire Bull Terrier nos mais diferentes desafios, situações do dia a dia e esportes. Sabendo disso, procuramos por tutores e apaixonados pela raça que nos contaram um pouco sobre a convivência e atividades que desempenham com seus Staffies. A seguir, você conhece uma das habilidades da raça e na revista impressa, a edição 457, você encontra muitas outras!
 
NA POLÍCIA: STAFFIES E MESTIÇOS DA RAÇA ATUAM COMO FAREJADORES


Crédito foto à esq.: SWNS.com / Crédito foto à dir.:Arquivo de PC Lee Webb
Treinador PC Lee Webb com Kos (à esq.) e Boris (à dir.): dois dos cinco Staffies e mestiços da raça treinados para farejar drogas


Uma triste realidade tem acometido a raça em seu país de origem, a Inglaterra, onde, segundo dados de 2016 do The Kennel Club (TKC), o Staffie é a 11ª raça mais popular. O abandono de Staff Bulls e mestiços da raça aumentou muito nos últimos 20 anos, o que fez com que entrassem no rol de cães de raça mais abandonados no país, acusa Sue Dicks, supervisora do RSPCA - West Hatch Animal Centre, abrigo da cidade de Taunton. Grande parte do abandono se dá pela falta de informação de pessoas que adquirem a raça e não oferecem o que ela necessita, como atividade física regular. Felizmente, cinco entre tantos cães abandonados tiveram seus destinos mudados por um policial chamado PC Lee Webb. Instrutor de cães do departamento de Avon e Somerset, PC tem adestrado animais de abrigos desde 2004 para farejar drogas, armas e dinheiro. Contudo, tradicionalmente, sempre foram usados Pastores Alemães, Labradores e Spaniels.

Em 2011, PC treinou seu primeiro Staffordshire, o Kos, que na realidade é uma mistura de Staffie com Whippet. Quando o cão chegou no abrigo de Sue, ninguém imaginava que ele teria tantas aptidões, pois teve dificuldades de se adaptar. “Muito estressado, sempre que abríamos a baia do Kos, parecia que o cão teria um colapso”, conta Sue. Para desestressar o animal, começaram a fazer com que ele gastasse sua energia com brincadeiras, como esconder uma bolinha e pedir para que ele a encontrasse. “Nos surpreendemos com o modo como ele era bom nesse tipo de treino, cujos destaques sempre foram atribuídos aos cães de trabalho, não Staffies!”, conta Sue, que ao perceber o potencial de Kos, sugeriu a PC que o cão fosse treinado por ele. A experiência foi tão positiva que, depois de Kos, mais quatro Staffies e mestiços dessa raça foram aceitos nesse departamento. Boris foi o último a ser treinado por PC. “Treinando Kos aprendi que não devemos julgar um cão pela aparência, mas sim, por suas habilidades. Staffies têm muita determinação, energia, vontade de agradar o dono e habilidades em buscar objetos”, finaliza o policial.  


Fotos: ©Mercury Press and Media Ltd
Staffie Storm durante treino de parkour: seus donos querem que a cadela quebre o recorde mundial de 4 metros de escalada. Storm já atingiu os 3,6 metros


Parkour Canino
A agilidade e força da raça são pontos a favor dos Staffies nesse esporte radical praticado no meio urbano. O parkour consiste em se equilibrar e transpor obstáculos, tudo de forma rápida e eficiente, como se estivesse em uma fuga. Não a toa uma Staff Bull muito talentosa, a Storm, de 1 ano e 6 meses, tem tentado bater a Pit Bull Antara, do México, atual recorde mundial de salto vertical escalando muros e árvores. O objetivo dos donos de Storm, Alex e Demi Manning, é ultrapassar os 4 metros atingidos pela cadela mexicana. E estão quase lá, pois Storm já escalou muros e árvores de 3,6 metros. A habilidade da Staffie foi percebida por seus tutores quando ela tinha apenas 7 semanas de vida. Certo dia, Alex pegou um graveto e percebeu que ela ficara interessada nele. Para tentar pegá-lo, chegou a escalar toda a perna do dono. Vendo isso, Alex decidiu posicionar o graveto em uma árvore e observar quão alto ela conseguia saltar. “A altura que ela atingiu na época não é nada comparado com o que ela faz agora, mas por se tratar de um filhote, foi realmente impressionante naquele momento”, revela Alex. Assim, o casal resolveu começar a treinar Storm. Os exercícios são feitos pela manhã, durante os passeios, e ela é recompensada com elogios e carinho a cada vez que atinge novas alturas. “Ela tem muito potencial para bater o recorde mundial. Ela ama o que faz. Porém, mesmo que ela não consiga, tudo bem, pois já somos muito orgulhosos dela”, finaliza
 
 
Para ver mais habilidades do Staffordshire Bull Terrier, clique aqui, e compre já a edição 457 da revista Cães & Cia.
 
https://www.editoratopco.com.br/loja/caes-e-cia/categoria