Bull Terrier: cheio de carisma, energia e personalidade

04/08/2017 - 11:17

Veja os destaques da convivência com esse cão que só tem cara de “bravo” e que tem crescido no Brasil
Foto: Johnny Duarte

Foto: Johnny Duarte

O Bull Terrier está entre as raças que têm galgado seu espaço nos lares brasileiros. E o aumento de registros de exemplares na Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) confirma que esse cão - conhecido pela cabeça em formato de ovo e focinho curvado para baixo (down face) – tem, de fato, se tornado cada vez mais popular por aqui. Em 2015, o Bull Terrier estava na 19ª posição, com 1.480 cães re-gistrados na CBKC. Em 2016, esse número subiu para 1.827, colocando a raça no 16º lugar. Nessas estatísticas estão representados apenas os Bull Terriers Standards – chamados simplesmente de Bull Terriers – que não têm limite de altura ou peso, mas precisam “dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, em coerência com suas qualidades e sexo”, segundo diz o padrão oficial da raça na CBKC. Contudo, os Bull Terriers Miniaturas – que não podem ultrapassar os 35,5 cm na cernelha – também tiveram um salto importante na criação. Em 2015, ocuparam a 87ª posição (com 69 exemplares) nos registros de cães de raça e subiram, em 2016, para a 77ª posição (com 106 exemplares registrados). Tania Marins, do recém-fundado canil Marins Bulls & Co. e ex-sócia do canil Oliverdays, de Mairiporã-SP, este iniciado em 2010, acredita que a raça cresceu em torno de 20% desde quando começou a criá-la. Contudo, se preocupa com os riscos da popularização da raça. “Desejo que não aumente muito, pois a raça deve ser criada com dedicação, amor e esforço. Se não tiver isso, não se deve ser um criador de Bull Terrier”, desabafa. 

Embora hajam diferenças de porte e criação (veja em detalhes na Cães & Cia edição 416), no quesito temperamento e convivência, ambas as variedades são semelhantes. Assim sendo, veja a opinião de criadores que se dedicam aos dois tamanhos de Bull Terrier sobre como é ter um cão dessa raça em casa e quais os cuidados principais em seu manejo.   

Saiba mais adquirindo a edição 458 da revista Cães & Cia.

https://www.editoratopco.com.br/loja/caes-e-cia/categoria