Mudi: ativo e apegado ao dono

18/12/2017 - 15:36

Pouco disseminado no mundo, esse cão demonstra vontade incessante de agradar ao proprietário
Arquivo do canil Irhaberki

Arquivo do canil Irhaberki

Junto do Pumi e do Puli, o Mudi compõe o trio de raças de pastoreio húngaras de porte médio. Ele se destaca pelo intenso vínculo que forma com o tutor. “O Mudi quer estar junto de seu dono a todo instante”, afirma Eva Brauer, do canil Mog-Ur’s, da Suécia. “É extremamente leal, mais que qualquer outra raça que eu já tenha visto”, garante Lori Pichurski, do Iszkiri Kennels, do Canadá. Ela já conviveu com Pastor de Shet-
land, Keeshond, Pomerânia, Border Collie, Nova Scotia Duck Tolling Retriever e cães mestiços.

O Mudi está sempre observando cada movimento e palavra do dono. “Apesar de ser muito ativo, parece até que possui um botão de desliga, pois, se o tutor estiver sentado quieto, ele também ficará”, relata Lori. O tutor de um cão dessa raça é, literalmente, o centro de seu universo. “O Mudi faz de tudo para agradá-lo e deixá-lo feliz”, afirma a húngara Boglar Medgyesi-Toth, do canil Irhaberki. “Em casa, parece que para nossos Mudis só existimos eu e meu marido no mundo. Focam em nós o tempo todo”, conta Fernanda Lesnau, do canil curitibano Kisfarkas, o único que trabalha com a raça no Brasil. “Em geral, preferem até a companhia dos donos à de outros cães, embora normalmente o relacionamento com outros cachorros não gere problema algum”, completa Vik-
tória Maczák, do canil Köves-bérci Betyár, da Hungria.


Saiba mais adquirindo a edição 463 da revista Cães & Cia.

https://www.editoratopco.com.br/loja/caes-e-cia/categoria