Visitas de pets: tratamento mais humano e eficaz em hospitais

03/07/2018 - 16:03

Descubra o que pode mudar após a aprovação de lei que autoriza visitas de pets em São Paulo e quais são os benefícios comprovados pelas instituições que já recebem esse auxílio
Fotos: Tiago Silva/ Hospital Infantil Sabará

Fotos: Tiago Silva/ Hospital Infantil Sabará

Felicidade é pouco: Essa foi a reação de Mateus Cardoso Teles, de 9 anos, ao reencontrar Spaick, seu coelho de estimação, antes de passar por uma cirurgia cardíaca no hospital infantil Sabará, em São Paulo. A visita pouco convencional só foi possível devido à sensibilidade do grupo de médicos e especialistas do hospital, que notaram o amor do garoto pelos animais; amor este que estava tirando a fome e o sono do pequeno paciente. “Durante a internação, Mateus sempre me perguntava como estava o Spaick e tinha receio de que o coelho achasse que tinha sido abandonado”, relembra Marleide Cardoso Teles, mãe de Mateus, de Itaquaquecetuba, SP. Ela salienta que a mascote também estava sofrendo com a ausência dele. “Spaick não estava comendo nem bebendo água direito. Tinha receio de que ele morresse enquanto Mateus estivesse internado”, complementa.

Percebendo o amor de Mateus por pets, já que ele conversava com médicos e enfermeiros sobre cães o dia todo, a equipe de cuidadores do Sabará teve a ideia de levar o coelho para animar o garoto antes que ele entrasse na sala de cirurgia. A iniciativa deu certo! Porém, não foi fácil levar o bicho, já que a família reside em outra cidade. Segundo a mãe, a equipe não poupou esforços para que isso se concretizasse. Buscaram e levaram o animal de táxi. O resultado foi um paciente muito mais feliz e confiante para realizar o procedimento. A mãe de Mateus, Marleide, lembra, com carinho, como foi o encontro dos dois amigos, com algumas restrições, é claro. “O coelho não entrou na unidade de terapia intensiva (UTI), pois é estritamente proibida a entrada de animais nesse setor. Como Mateus não estava com muitos aparelhos, encontrou com Spaick no hall”, relembra e fala que os beijos e abraços duraram 10 ou 15 minutos apenas, mas fizeram uma grande diferença no dia do filho.
https://www.caes-e-cia.com.br/loja/