O MELHOR MÉTODO ANTICONCEPCIONAL PARA A GATA


Você pretende reproduzir a sua gata no futuro, mas não de imediato? O método anticoncepcional mais recomendado é não deixá-la namorar. Evite dar anticoncepcionais: os efeitos colaterais são especialmente nocivos para os gatos. À base de hormônios, podem causar problemas como tumor na mama; infecção ou inflamação no útero; diabetes, obesidade devido a aumento de apetite e morte do feto, se a fêmea estiver grávida ao tomar o anticoncepcional. Os efeitos colaterais são bastante comuns. Quanto mais anticoncepcionais a gata tomar, maior a chance. Às vezes, aparece tumor depois de uma única dosagem. Bem mais suaves são os inconvenientes do impedimento do namoro. A gata fica apenas um pouco mais arisca e irritada, por alguns dias.


Sinais do Cio


É inútil ficar de olho no calendário, para saber quando o cio vai chegar: nas gatas, ele costuma ser irregular. Basear-se em secreção vaginal também não é garantido. Nem todas a têm e quando acontece é transparente.


A gata no cio, para não engravidar, não pode ser deixada ao alcance dos machos, de jeito nenhum. Basta copularem e ela fica fértil: ovula de imediato.


Um jeito de saber se o cio chegou é observar o comportamento da gata. Fica mais manhosa, mia mais, chora, rola no chão, se enrosca nas pernas das pessoas, nos objetos e ao passarmos a mão na região posterior ela arrebita o bumbum e levanta a cauda. O primeiro cio aparece entre os seis e doze meses de idade. Depois disso, a gata poderá entrar no cio a qualquer momento, mesmo com idade avançada. Para não prolongá-lo - dura de três a oito dias -, não se deve acariciar muito a gata nesse período.


Castrar


Para as gatas que não pretendemos procriar, o indicado é a castração. Gatos só devem ser gerados quando temos um destino para eles, já que há muitos sobrando por ai. A castração consiste basicamente na retirada dos ovários por meio de uma cirurgia de cerca de 30 minutos, com anestesia geral. O custo é de R$ 80 a R$ 160. Sem ovários, acaba o pico hormonal causador das mudanças na mama, no cio, visando prepará-la para a amamentação. O resultado é uma menor incidência de tumor de mama nas gatas castradas. A gata castrada antes do primeiro cio não desenvolve esse tumor. Ao se extrair tumores da mama da gata, os ovários são também removidos, para evitar que o hormônio provoque o crescimento de outros tumores. Os veterinários recomendam tirar também o útero, pois perde a função sem a presença do ovário e está sujeito a infecções, principalmente se a gata vier a tomar remédios à base de hormônios.


A maioria dos veterinários prefere castrar as gatas só depois do primeiro cio. A idéia é deixar que completem o desenvolvimento físico. Apesar de ainda não estar cientificamente comprovado que a castração precoce interrompa o desenvolvimento, a precaução é bastante adotada.


O efeito colateral mais percebido na gata castrada é a tendência a engordar, provavelmente por redução da atividade física devido a alteração hormonal. A obesidade é controlável com a adaptação da alimentação oferecida e estimulando a gata fazer exercido.