Intoxicação com remédio para sarna

Levei minha Poodle Toy para ser tosada no pet shop. Um mês e meio depois, ela estava com sarna. Tomou banho com butox conforme prescrito pela veterinária e, em seguida, adoeceu. Voltou para a clínica e lhe foi aplicada uma vacina contra veneno. Dois dias depois, observei que a Poodle não andava normalmente. Faz dois dias que não defeca e está apática. O que está acontecendo? Ela pode ter adquirido sarna no pet shop? Edson Giannone, edson@transtubo.com.br

 

Edson, pelo seu relato parece que a Poodle se intoxicou com o butox. Esse produto é um composto de piretróide, inseticida com alto poder de eliminação de sarnas, carrapatos, pulgas e bernes. Mas se entrar na circulação sangüínea do cão, pode envenená-lo por acúmulo de piretróides nos tecidos gordurosos e até levá-lo à morte. A intoxicação pode ocorrer por uma ou mais falhas, como:

 

1) Ingestão oral: o cão lambe o produto durante a aplicação ou secagem;

2) Absorção pela pele: quando a secagem após o banho é feita a quente (sob o sol ou com o secador na temperatura quente), o que aumenta a circulação sanguínea local e facilita a absorção do produto pela pele.;

3) Absorção por vias respiratórias: aplicação ou secagem feita em lugar muito fechado;

4) Veneno concentrado demais: quando a diluição é menor do que a indicada na bula ou embalagem do produto. Nesse caso, a infiltração de piretróide na pele aumenta.

 

Os sinais de intoxicação por piretróide são hipersalivação, vômitos, diarréias, eliminação de gases, espasmos intestinais, tremores musculares, respiração irregular, dificuldade respiratória, hiperexcitação ou depressão, aumento ou diminuição elevada da temperatura e ataques convulsivos. Não existe uma vacina contra esse tipo de envenenamento, mas é possível aliviar o mal-estar de sintomas específicos com remédios. Como o acúmulo de piretróide se dá nos tecidos gordurosos do cão, leva em torno de 15 dias para o cão se desintoxicar. Quanto a pegar a sarna, a doença pode ser adquirida por contato com qualquer animal que tenha a sarna do tipo sarcóptica, causada por um ácaro Sarcoptes scabei, ou por contato com escova ou material contaminado. Essa é a sarna mais comum, também transmissível para os humanos. (Mariana Lage-Marques, médica-veterinária que já atendeu mais de 200 casos de intoxicação)