Como educar cão que destrói a casa quando está sozinho

Categoria: Comportamento

Autor(a): André Barreto | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas-SP | 04/05/2017 - 10:16

Aprenda o que fazer para deixar seu cão livre do tédio quando ele estiver sozinho em casa e proteja seus móveis e objetos pessoais
Zeiss4Me / IStockphoto

Zeiss4Me / IStockphoto

Antes de deixar o cão sozinho, muitas vezes, um passeio longo basta para que ele fique com vontade de descansar e permanecer calmo até o retorno do dono. Mas, quando essa estratégia não dá certo, algumas mudanças na lida com o animal podem resolver o problema.

sofrimento canino com a ausência dos donos é um dos problemas mais comuns em ambiente doméstico nos dias de hoje. E, às vezes, os sinais da ansiedade gerada são tão mínimos que passam despercebidos. Veja como você pode lidar com o tédio do seu cão de forma simples e evite que ele continue destruindo objetos e outros itens em sua casa. 




Batteriesplus

Como educar cão que destrói a casa quando está sozinho


Detecte o nível de ansiedade

Antes de tudo, é importante identificar em que estágio se encontra a ansiedade do cão. 

  • Nível baixo: os primeiros sinais de que ele não fica à vontade sozinho são destruir objetos pessoais, roer móveis e até paredes, fazer xixi em lugares inadequados, deixar de comer, de beber e de circular normalmente pela casa. 
  • Nível médio: o cão passa o tempo todo deitado, resmungando e choramingando próximo à janela ou porta ou na beirada do sofá ou cama, sempre locais associados ao contato com o dono.
  • Nível avançado: caracteriza-se por uivos e latidos em excesso, especialmente na porta de entrada. Se a ansiedade piorar, podem ocorrer outros comportamentos compulsivos, como salivação e lambedura, com o cão se lambendo seguidamente até se machucar.

Cão independente sofre menos

Dar comida na boca do cão, chamá-lo o tempo todo, tentar satisfazer todas as necessidades dele e acariciá-lo constantemente são bons exemplos do que não se deve fazer. Tudo isso deixa o cão extremamente dependente do dono. Veja algumas dicas para aumentar a independência do animal e ajudá-lo a tocar a vida sem a presença do dono:

  • Refeições metódicas: sirva a quantidade exata de alimento que o cão deve comer e diga apenas uma vez “comida”. Deixe o pote à disposição por exatos cinco minutos, sem dar atenção ao animal. Terminado o prazo, simplesmente retire o pote, mesmo que haja sobra. Só ofereça comida novamente no horário da próxima refeição.
  • Brincadeiras solitárias: o cão deve aprender que pode brincar também sem a sua companhia. Além das brincadeiras a dois, como jogar bolinha, crie também atividades para ele desenvolver sem a sua proximidade, como roer ossos, procurar alimentos pela casa e brincar com brinquedos dispensadores de comida.
  • Ignore alguns pedidos: ofereça carinho para o seu cão, mas ignore alguns pedidos dele. É positivo acostumá-lo a lidar com pequenas frustrações para que desenvolva alternativas por conta própria, como roer um osso ou brinquedo. 

Torne o ambiente caseiro desafiador

Deixar o cão em casa sem nada para fazer equivale a você passar o dia trancado sem TV, sem ler nem estudar, sem falar com ninguém, apenas sentado ou deitado. A falta de atividade física e mental pode gerar diversos problemas, como a já citada ansiedade. Tornar o ambiente rico em tarefas é uma excelente ideia para amenizar a situação. Mas é preciso mostrar ao cão que ele pode executar essas tarefas. Aqui vão algumas sugestões:

  • Promova a “caça” à própria comida: deixe petiscos e biscoitos escondidos pela casa. Assim, quando você sair, o cão poderá procurá-los. Confira dicas de como ensinar na edição 388.
  • Deixe referências da sua proximidade: quando você se ausentar, permita acesso ao cão àqueles utensílios domésticos e lugares onde vocês costumam ficar juntos, como o sofá (deixe a televisão ou rádio ligados) e a cama. Assim ele poderá passar tempo nesses locais, como se estivesse ao seu lado. Ou, então, deixe na caminha dele um pano com o seu cheiro e um brinquedo especial. 
  • Crie sensação de movimento nos ambientes: se é comum o cão ficar sozinho, coloque espelhos nos lugares por onde ele mais circula. Isso estimulará a atenção dele e trará a sensação de um pouco mais de movimento e ação. Para cães que assistem TV, reserve aqueles programas dos quais ele mais gosta, como os de esportes ou com animais. Deixar uma fresta na janela para que ele veja a rua também pode ser uma excelente distração, desde que não lata em excesso.
  • Deixe à disposição brinquedos interativos: disponibilize brinquedos dispensadores de comida, quebra-cabeças e brinquedos de roer para criar oportunidades de distração ao cão durante a sua ausência.

Nas chegadas e partidas

As suas chegadas e partidas devem ser totalmente calmas, ou seja, saia sem grandes despedidas e retorne sem fazer festa para o cão. Com isso, você mostra que tanto a sua chegada quanto a sua partida são acontecimentos naturais. Despedidas tristes tendem a causar ansiedade e medo ao cão. Chegadas com recepção calorosa passam a informação de que esse momento é o mais importante do dia e, sendo assim, o cão o aguardará ansiosamente.

Treino para aprender a ficar só

Depois de ter preparado o ambiente caseiro de acordo com as dicas dadas até aqui, saia pela porta da frente e diga em tom neutro “já volto”. Passados 10 segundos, retorne. Entre sem dar atenção ao cão e siga a sua rotina. Caso o cão choramingue ou lata enquanto você estiver fora de casa, diminua esse período de ausência na próxima sessão. Gradualmente, aumente o tempo e a distância em que se afasta da porta, até ficar na distância máxima que permite ouvir se o cão está vocalizando ou não. A partir daí, sempre que ele ficar calmo durante determinado período de tempo por três vezes seguidas, aumente a demora para voltar. Ou seja, se você fez três saídas de 10 segundos, agora espere 15 segundos. Aumente o intervalo de tempo de acordo com os acertos do cão e diminua-o caso ocorram vocalizações. Ao retornar, verifique se o cão praticou as atividades preparadas para ele desenvolver. O exercício estará completo quando você puder deixar o cão sozinho por, no mínimo, 30 minutos e, no máximo, 8 horas, sem ele latir ou choramingar nem ficar sem se movimentar normalmente pela casa, realizando as tarefas planejadas para ele.

Bestbullysticks

Deixar o cão em casa sem nada para fazer equivale a você passar o dia trancado sem TV, sem ler nem estudar, sem falar com ninguém, apenas sentado ou deitado
 

 

Dicas gerais

 

• Não crie situações que façam o cão perceber com antecedência que vai ficar sozinho: prendê-lo na hora de sair ou ligar o rádio ou televisão pode evidenciar que ele ficará sozinho. Iniciativas como essas só podem se tornar positivas se ocorrerem rotineiramente, independentemente de você continuar presente ou se ausentar.

• Ter outro cão para fazer companhia pode ser ótima alternativa: escolha um cão do sexo oposto e castre os dois para reduzir as chances de brigas.

• Se o cão começou repentinamente a uivar e choramingar quando você sai: ele pode ter se assustado com um eletrodoméstico novo, um estouro etc. Observe o que causa o medo e dessensibilize o cão, como citado na edição 381.

• Além de condicionamento, medicamentos podem ajudar a controlar a ansiedade do cão: consulte o veterinário.

• Só ofereça brinquedos seguros: nunca deixe o cão com brinquedos com risco de soltar pedaços, pois poderá engoli-los. Antes de disponibilizar um brinquedo ao cão, teste-o sob supervisão por alguns dias. 

• Registre a rotina do cão com câmeras: pode ajudar a identificar os momentos ou motivações que deixam o animal ansioso.

• Estimule a independência do cão: é natural que você queira passar bastante tempo ao lado dele, mas lembre-se de que ele também precisa de momentos de independência.