Cão comportado com visitas

Categoria: Educação/ Consultório

Autor(a): André Barreto | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas/SP | 06/06/2017 - 10:06

Saiba como evitar que o cão perturbe seus convidados
Cão educado: não deve subir no sofá nem no colo das visitas se não for convidado/ Crédito: André Barreto

Cão educado: não deve subir no sofá nem no colo das visitas se não for convidado/ Crédito: André Barreto

A seguir, veja quais os comportamentos caninos inadequados mais comuns na presença de visitas e como corrigi-los. Lembre-se que no processo de treinamento, os exercícios são realizados rotineiramente, sem a presença de visitantes. E, quando houver gente de fora da casa, aplica-se o que foi aprendido, instruindo o visitante sobre como agir.
 
Subir no colo sem ser chamado
Esse mau comportamento normalmente ocorre quando a visita está sentada no sofá ou à mesa de refeições.
Exercício prático: pegue algo que interesse ao cão, como um pedaço de petisco, e deixe-o cheirar sem entregar a guloseima, de modo a aguçar o interesse do animal. Sente-se no sofá (ou à mesa), continuando a segurar o petisco com uma das mãos e, quando o cão tentar subir para pegar o petisco, crie um bloqueio com os braços para impedir o acesso, de modo que ele interrompa temporariamente a tentativa. Aguarde cinco segundos. Se, nesse tempo, ele não tentou subir no seu colo ou no sofá, clique(*) e recompense. Caso o cão insista em tentar subir ou apoiar as patas em suas pernas, frustre a tentativa afastando-as para trás ou para os lados, impedindo assim que ele se apóie nelas. Repita quantas vezes forem necessárias até o cão permanecer por cinco segundos sem tentar subir no seu colo ou no sofá, ocasião em que você clicará e o recompensará por não subir. Aumente o tempo de espera gradualmente, mantendo-se sentado sempre com o petisco na mão. Passe a gesticular, cruzar as pernas, conversar com as pessoas ou ao telefone etc. Clique e recompense o cão com pedaço de petisco, carinho ou brinquedo apenas enquanto ele estiver fora do sofá ou do seu colo sem tentar subir, inclusive em situações como ele estar na caminha olhando para você ou entretido com algo ou, ainda, caminhando nas proximidades.


André Barreto
Bloqueio de acesso para subir no sofá: barreira criada com o uso dos braços
 
Morder mãos e roupas da pessoa
Para tentar ganhar atenção ou mesmo se entreter, o cão mordisca as mãos da pessoa, muitas vezes chegando a machucá-la, ou morde a roupa, podendo até rasgá-la.
Exercício prático: disponibilize pelo menos três brinquedos diferentes para o cão. Segure um deles e raspe-o no chão com movimentos rápidos, atire-o para ser buscado ou esfregue-o no corpo do cão. Prefira brinquedos compridos, como os de cabo de guerra, assim você poderá, ao mesmo tempo, manter as mãos longe da boca do cão e ajudá-lo a agarrar o objeto. Brinque dessa maneira por pelo menos três minutos e pare repentinamente. Fique, então, em pé, imóvel, em silêncio, olhando ao redor. Caso ele pegue um dos brinquedos do chão e o morda ou o traga para você, clique e reinicie a brincadeira. A intenção é mostrar para o cão que sempre, ao morder os brinquedos dele, conquista a sua atenção. Se, depois de um minuto, o cão não tiver pegado um brinquedo, mas também não tiver mordido a sua mão ou roupa, como ele não fez nada de errado clique, pegue um brinquedo e brinque com ele por mais três minutos. Mas, se no intervalo de um minuto ele morder a sua mão ou roupa, diga “não!” e, imediatamente, retire os brinquedos. Deixe-o sozinho por cinco minutos no ambiente em que estava brincando. A intenção é mostrar ao cão que a brincadeira e a atenção acabam quando ele morde.
As sessões duram em torno de 15 a 30 minutos e podem ser praticadas várias vezes durante o dia, sempre com intervalos para o cão descansar (e o treinador também).


André Barreto
Dar um pouco de atenção ao cão durante as visitas: evita que o cão faça coisas erradas para chamar a atenção
 
Urinar e defecar em lugar errado quando o dono dá atenção à visita
O cão normalmente faz as necessidades no local certo, mas em determinadas circunstâncias as faz no lugar errado. As principais causas desse mau comportamento eventual podem ser ansiedade, medo ou tentativa de chamar a atenção do dono (como quando ele dá atenção a uma visita).
Exercício prático: passe a recompensar com mais frequência o cão por fazer as necessidades no lugar certo. Para tanto, siga-o sempre que perceber que ele está indo ao banheiro e, quando ele estiver no canto do xixi se aliviando, clique e recompense com pedaços de petiscos e carinho. A intenção é mostrar que ele pode chamar a sua atenção fazendo as necessidades no lugar certo.
Antes de receber as visitas, faça um passeio longo com o cão, ofereça água para ele e leve-o até o banheiro. Clique e recompense se ele fizer xixi ou cocô. Assim, as chances de ele fazer as necessidades no lugar errado são bem menores. Ao receber visitas por bastante tempo, a cada 30 minutos leve o cão para ver se ele não quer se aliviar. Também fique atento e, ao perceber sinais de que ele vai fazer as necessidades em local impróprio, como cheirar o chão e andar em círculos, interrompa-o no exato momento em que ele começar a evacuar e leve-o para o local certo. Deixe-o sozinho lá por cinco minutos, como forma de punição. Se, ao voltar, ele tiver feito no lugar certo, libere a saída dele. A intenção é mostrar ao cão que, quando tenta fazer as necessidades em local errado, é interrompido e
fica afastado, perdendo a chance de estar com vocês. Caso ninguém presencie o mau comportamento, não há mais nada a fazer a não ser limpar o local e treinar mais o cão. Quando o cão não é flagrado no momento exato em que está fazendo errado
não adianta dar broncas nele mostrando o que fez há segundos, minutos ou horas atrás.


André Barreto
Recompensar o cão por ir até o banheiro dele: diminui as chances de ele fazer xixi no lugar errado para chamar a atenção

Cãozinho controlado
De tanto sofrer com o comportamento de Benjamin, Carolina Braun, de São Paulo, decidiu contratar um profissional de adestramento para deixar o cão mais controlado ao receber visita de amigos e, principalmente, da família dela, que mora em outro Estado. “Benjamin era um cão muito agitado, que sempre ficava mordiscando e pulando em cima das visitas, correndo de um lado para o outro quando elas chegavam, comportamentos extremamente desagradáveis e desconcertantes para as visitas e para mim também”, desabafa. Carolina conta que o treino foi bastante proveitoso e gostoso de ser praticado. “É um momento de aprendizado, não só para o cão, mas também para o dono. Nossa comunicação melhorou e eu vi que muito do comportamento inadequado era proveniente de coisas erradas que eu fazia”. Atualmente, quando chega uma visita, Benjamin não fica mais tão ansioso e agitado. Com isso, deixou de ser incômodo e se tornou companhia. A melhora não aconteceu apenas em casa. “Também quando as visitas somos nós, ele se tornou muito obediente e agradável”, acrescenta Caroline.


André Barreto
Caroline e Benjamin: a dona conseguiu estabelecer limites ao cãozinho dela, antes muito agitado com as visitas
 
André Barreto treina cães há 14 anos e é especialista em adaptação de cães para o convívio doméstico. Tels.: (11) 2503-7333 e 5093-6244. Site: www.andrebarreto.com