Férias de inverno: destinos turísticos inesquecíveis para visitar com o cão

Categoria: Convivência

Autor(a): Samia Malas | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 05/06/2018 - 15:03

Confira sugestões de lugares para ir com seu amigo de quatro patas
iStock/ Pilin_Petunyia

iStock/ Pilin_Petunyia

Por que não levar o cão a um passeio diferente? As férias de julho estão aí, com opções bem variadas de viagens. Temos o friozinho do sul do Brasil (com sorte, até dá para pegar neve!), que é ótimo para comer fondue e tomar chocolate quente. Para quem quer distância das baixas temperaturas, o Norte e o Nordeste oferecem um clima ameno e agradável no meio do ano. 

Nesta reportagem selecionamos alguns destinos de inverno amigáveis para quem vai acompanhado pelo cão. Quem os sugere são os próprios viajantes. Caso não vá levar seu amigo, veja algumas dicas para deixar o cão hospedado clicando aqui.
 
Sul de Minas Gerais: Natureza e muito charme!
 

Foto: viagem sim!

Monte verde
Localizado na Serra da Mantiqueira, a 134 quilômetros de São Paulo, caracteriza-se pela grande altitude e natureza exuberante (a vegetação é típica da Mata Atlântica). Na temporada de inverno, o frio é um atrativo apreciado por muitos. “A cidade parece um pequeno vilarejo europeu, cheio de bares, restaurantes e lojas, com pessoas bem humoradas e música boa”, diz Renata.
 
Ela, Carlos e Toby se hospedaram na pousada Locanda. O cão pôde circular livremente. Na própria pousada há o Museu da Música Popular Brasileiraque o casal visitou com Toby. O acervo inclui discos de vinil, objetos antigos e muitos livros sobre música. À noite passearam na cidade e entraram em um barzinho sem qualquer impedimento. “Lá haviam vários cães acompanhando seus donos”, relata Renata. 
 
A cidade foi visitada também por Jackeline, Rômulo e seus Frenchies por três dias e duas noites no verão. Foi em fevereiro de 2014. Do Rio até lá levou cerca de 6 horas, com direito a uma parada pet friendly no quilômetro 82 da Rio-Dutra, em Roseira. “Entramos numa unidade do Frango Assadoque, além da própria loja tem outros restaurantes e uma área só para cães”, relata Jackeline. Em Monte Verde o casal se hospedou no hotel Cabeça de Boi. Lá os cães dispunham de uma grande área verde para brincar e correr. Além disso, o hotel organiza trilhas e passeios por perto e até city tour em um trenzinho. “Fizemos uma das trilhas, na qual Foucault e Maquiavel entraram numa cachoeira e na lama; foi uma delícia”, finaliza Jackeline.
 


Serras catarinense e gaúcha
 
Foto: roteiro animal

Gramado e Canela- RS
Conhecida pelo festival de cinema e chocolates, Gramado é perfeita para quem gosta de passar o inverno no friozinho. O primeiro passeio de Luciana e Frida foi no Parque do Lago Negro, chamado assim por ter à sua volta árvores importadas da Floresta Negra, na Alemanha. Lá a cadela pôde circular livremente. Depois estiveram na Casa do Colono, onde é possível comprar produtos das quinze colônias alemãs e italianas, como geleias, vinhos, queijos, cachaças e embutidos. “Não se pode falar em Gramado sem citar as lojas de chocolate espalhadas pelo centro da cidade, mas a entrada de cães é proibida nelas”, alerta Luciana. Animais são aceitos, porém, em alguns dos vários cafés da Rua Coberta, um shopping com cobertura translúcida curva que une duas avenidas centrais, funcionando como se fosse uma rua.
 
Luciana elogiou o atendimento recebido no hotel Canto Verde. “Lá tem uma área verde muito linda e Frida ficou à vontade no hotel, exceto na parte de alimentação que é proibida para cães”, conta.
Outro passeio foi uma ida a Canela, cidade que fica a apenas 7 quilômetros de Gramado. “Frida me acompanhou no museu, no Castelinho Caracol(uma das primeiras residências do município de Canela), e na Cervejaria Farol. Em todos só pôde ficar na área externa”, finaliza.


Foto: arquivo pessoal
 
Campos do Jordão: friozinho com requinte
Localizada no alto da Serra da Mantiqueira, Campos do Jordão é um dos destinos prediletos de paulistas e cariocas que gostam de frio, pela maior proximidade em comparação com as cidades do sul. Em julho, além das baladas, agito, hotéis charmosos e alta gastronomia da região, a cidade abriga o Festival Internacional de Inverno, o maior e mais importante evento sobre música clássica da América Latina. Entre julho e agosto acontece também a tradicional Cãominhada.
 
A carioca Angela Pingitore viaja sempre que possível com seu Dachshund de 4 anos Francesco, ou Thesco, para os íntimos. “Thesco foi acostumado a viajar de carro e nossa única preocupação é parar de tempos em tempos para ele poder andar um pouquinho, tomar água e fazer pipi”. Sempre que vai a Campos (esteve lá por três vezes; a terceira em 2012), Angela se hospeda no Hotel Surya Pan, onde, segundo ela, os cães são superbem-vindos. “Circulam por todo o hotel, menos nas áreas de alimentação, mas podem ficar na porta esperando”, relata. “Era permitido deixar o cão no quarto e, quando isso acontecia, eu informava o número do meu celular para a recepção poder entrar em contato caso fosse necessário”, diz.
 
Os passeios incluíram pontos turísticos da cidade como o Morro do Elefante, o centrinho de Capivari, o Mirante do Alto do Lajeado e a Cascata da Ducha de Prata. “Thesco é curioso e, apesar de medroso, correu muito nos gramados do hotel e fez bagunça com os cães do próprio estabelecimento e de outros hóspedes”, conta. O único passeio do qual Thesco não pôde participar, nem no colo da dona, foi à Casa do Governador, construção histórica. “Os animais circulam sem problemas no centro
de Campos, muitos frequentam restaurantes com seus donos, mas não há incentivo para a presença deles”, opina Angela.

iStock/ Monica Click
 
Viagem para locais frios
Estas dicas são específicas para viagens a destinos onde os termômetros podem se aproximar de zero graus.
O cão está com frio? Toque o cão nas extremidades (orelhas e patas). Se estiverem geladinhas, provavelmente ele está com frio. Então trate de aquecê-lo. Roupinhas são uma excelente opção.
Evitar local gelado: Não deixe o cão ao relento nem em local com vento gelado. Leve uma caminha e cobertor para evitar que ele tenha contato direto com o chão frio.
Tomar um solzinho: Estimule os banhos de sol durante a viagem, mesmo que os raios solares estejam fracos.
Cachoeiras, rios e lagos: Se as águas estiverem geladas e o seu cão for daqueles que se jogam nelas e não querem nem saber, tenha sempre uma toalha por perto para tirar o excesso de água. Em seguida, garanta que ele tome sol por um bom tempo, para se esquentar e secar os pelos.

Caso vá deixar seu pet com um cuidador, confira um check-list de recomendações para deixar com ele.


Receba dicas imperdíveis como esta todos os meses em sua casa! Assine a revista Cães & Cia clicando aqui.