5 dicas para dar mais conforto ao cão durante a Copa do Mundo

Categoria: Educação

Autor(a): Jornalismo Top.Co. | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 13/06/2018 - 14:46

Bagunça, festa e fogos podem assustar seu cão durante a Copa. Saiba como você pode ajudá-lo
iStock/ lucato

iStock/ lucato

Em dia de jogos do Brasil na Copa, você se reúne com seus amigos e familiares, compra petiscos e bebidas para assistir à partida e confraternizar. Basta a seleção marcar um gol e a bagunça está completa: abraços, gritos, comida caindo ao chão, buzinas, cornetas, som alto, rojões, e fogos de artifícios. O evento que é marcado pela competição entre as melhores seleções mundiais pode se tornar um problema para os cães e seus tutores e o que era para ser motivo de celebração e descontração, pode acabar virando um transtorno para os pets. 

"Os animais possuem uma sensibilidade auditiva bem maior que a dos humanos e, consequentemente, sentem mais incômodo nos ouvidos com sons muito altos. Alguns pets, principalmente os cães e gatos, se assustam facilmente com fogos de artifício e rojões, podendo associar o barulho com perigo. Isso pode gerar neles as mais diversas reações como fugas ou brigas, até mesmo entre pets que já convivem juntos", explica Lara Torrezan, veterinária e diretoria do aplicativo Dot Pet.


iStock/ Veronika Dvořáková

"O estrondo dos artefatos, são extremamente incômodos e ameaçadores, podendo causar reações de fobia e pânico no animal”, explica a médica veterinária e gerente de produtos da unidade pet da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec.

Os sons intensos dos fogos podem gerar uma série de sensações desconfortáveis e sintomas como taquicardia, tremedeira, vocalização excessiva, micção involuntária, entre outros. A intensidade dos sintomas dependerá do grau de fobia do cão. Alguns podem se esconder ou tentar fugir do ambiente, o que pode ocasionar acidentes e em casos mais extremos o óbito do animal.

Mas como evitar esse tipo de problemas? Veja algumas dicas para dar mais conforto ao seu pet durante os jogos da Copa do Mundo.

Algodão no ouvido do cão
Altos barulhos como rojões e fogos de artifício podem levar o pet a desenvolver problemas psicológicos. O animal pode ficar estressado e apresentar alterações comportamentais, como reações exacerbadas diante de qualquer ruído, até mesmo aqueles distantes e inofensivos. Uma dica para evitar isso é o uso de algodão nos ouvidos do pet, ajudando a diminuir o barulho.

Coleiras com identificação
O risco de fuga diante de uma situação desesperadora é grande! Por essa razão, é fundamental identificar seu animal com nome, número e endereço. Além disso, em dia de festa como jogos da Copa, é natural que o fluxo de pessoas indo e vindo seja maior. Por isso, não se esqueça de zelar para que as portas e portões da sua casa estejam sempre fechados e oriente seus convidados a tomarem cuidado ao entrar ou sair.


iStock/ Jjohnson2011

Preparar cômodo isolado
Outra saída para diminuir os efeitos da barulheira é criar um ambiente especial para o seu pet. Isso engloba colocar colchão tampando as janelas, forrar o chão com cobertor e até mesmo cobrir o bichinho com um edredom. Ele se sentirá mais seguro e protegido. Também vale deixá-lo entrar onde se sinta seguro, como caixas de transporte ou embaixo da cama. 

Uma música ambiente e brinquedos e petiscos às disposição podem ajudar a minimizar o medo e deixar os cães mais seguros. É importante que o tutor se mostre confiante e não reforce o comportamento de medo com agrados. O uso de um análogo sintético do odor materno canino também pode ajudar a acalmar o cão nesses momentos. O produto é facilmente encontrado em pet shops.

Retirar a comida horas antes do jogo
Além de ficar de olho para seu animal não roubar nenhum alimento que estiverem comento, pois petiscos para humanos podem intoxicá-lo, é recomendável retirar a ração horas antes do jogo para evitar complicações como vômitos e torção gástrica, no caso de cães de porte grande. Isso porque o cão pode comer rápido demais devido à agitação, o que pode levar a diversas situações de desconforto. A água, no entanto, deve sempre ficar disponível.

Proteja, mas dê liberdade
Os pets tendem a se sentir mais seguros na presença dos donos. No entanto, o carinho para o pet é entendido como um presente, uma recompensa por uma atitude correta. "O ideal é agir normalmente durante a agitação dos jogos, mostrar ao seu pet que aquela é uma situação normal, associá-la a uma coisa boa. Pontuado isso, não exagere nos carinhos para protegê-lo. Você pode estar incentivando o medo que ele está sentindo. Ele deve entender aquela situação como normal, pois se em algum momento você não estiver presente o estresse dele pode se elevar", avalia Lara.