5 causas do comportamento de monta e soluções

Comportamento pode estar relacionado a estado de ansiedade ou o cãozinho está testando a aceitação e submissão do outro ser – Foto: Koldunova_Anna/iStockphoto.com

Entenda por que alguns cães têm o costume de se agarrar às pernas das visitas ou a objetos e como você pode acabar com esse comportamento constrangedor 

Muita gente fica constrangida quando seu pet se agarra às pernas das visitas, mas saiba que na maioria das vezes esse comportamento não tem cunho sexual. Na verdade, ele pode estar relacionado a estado de ansiedade, ou o cãozinho está testando a aceitação e submissão do outro ser, que pode ser humano, outro cão ou até mesmo um objeto, como almofadas e pelúcias – que são os preferidos. As principais causas desse comportamento são:

1. Brincadeiras e disputas hierárquicas

 Como já citado, a maior parte das montas não tem função sexual. Cães filhotes e adultos costumam repetir esse comportamento em outros animais durante brincadeiras de força, muito parecidas com aquelas brincadeiras de lutas entre as crianças. Lembre-se que esse comportamento não deve ser estimulado ou reforçado.

2. Chamar a atenção do tutor

Muitos cães associam que quando montam em outro cãozinho, nas pernas de alguém ou em algum objeto chamam a atenção do tutor que para tudo o que estiver fazendo para dar uma bronca. Com isso, sem querer, o próprio tutor acaba reforçando o comportamento. Nesse momento pedir algum comando que seu cãozinho já saiba pode ser a melhor saída, como um “senta”, “deita”, “rola”, “dá a pata”, ou seja, direcione essa energia para algo produtivo e estimule mentalmente seu cãozinho.

Direcione o excesso de energia do cão a algo positivo, como aprender comandos como “dá a pata” – Foto: Eva Blanco/iStockphoto.com

3. Ócio e excesso de energia

Cães com excesso de energia muitas vezes costumam transferir sua frustação para comportamentos indesejáveis e, nesse caso, o ideal é direcionar para algo positivo como os comandos de obediência e adestramento que podem ajudar e até eliminar completamente tais comportamentos.

4. Falta de socialização

Nos primeiros meses de vida seu filhote está aberto para as experiências do mundo e nesse período é importante que ele seja apresentado a estímulos, pessoas, objetos e animais que farão parte da sua vida quando adulto. Essa fase de socialização é muito importante e determinante para a formação da personalidade e deve ser feita de maneira apropriada e relacionada a algo positivo para que, no futuro, tenhamos um cãozinho mentalmente saudável, que entenda e respeite seus limites.

5. Questões hormonais

Socialize seu filhote corretamente para que, no futuro, seja um adulto mentalmente saudável, que entenda e respeite seus limites – Foto: travnikovstudio/iStockphoto.com

A maioria dos cães durante a puberdade, que ocorre aos 6 meses nas fêmeas e aos 7 meses nos machos, aumentam a frequência de montar já que estão com os hormônios à flor da pele e acabam transferindo seus impulsos a outros animais, pessoas ou objetos. Nesses casos a castração pode ajudar, mas ela não elimina completamente o problema. O ideal é sempre consultar um médico-veterinário que, muitas vezes, através do exame clínico, já faz o diagnóstico e sugere o tratamento ideal.

Mas como lidar com cães que montam?

Como já foi dito, depois de identificar a motivação para o comportamento, é possível entrar com treinamento, castração, uso de floral ou homeopatia para diminuir esse comportamento inoportuno. O mais importante é tentar entender seu pet para assim tomar a melhor decisão garantindo o bem-estar dele.


Agradecimento:

Joilva Duarte é franqueada Cão Cidadão, de Osasco-SP


Clique aqui e adquirá já a edição 489 da Cães & Cia!