8 dicas para se tornar um tutor sustentável

O Lhasa Apso Boby utiliza produtos de higiene biodegradáveis há 5 anos com o acompanhamento da sua veterinária, Camila Petermann, e tem ótimos resultados – Foto: Francielly Matoso

Poucas mudanças de atitudes no dia a dia de cuidados podem fazer a diferença 

Práticas ecologicamente sustentáveis são fundamentais para garantirmos o nosso futuro no planeta. Reciclar materiais, evitar desperdícios e consumir de forma consciente são atitudes cada vez mais populares e comuns no dia a dia das pessoas. E sabia que é possível adotar práticas sustentáveis também nos cuidados com os pets? 

Parece natural que os amantes dos animais se preocupem com o meio ambiente, mas o comportamento sustentável ainda precisa ser mais disseminado no meio. “Não percebo muitos tutores preocupados com sustentabilidade ecológica”, reflete a médica-veterinária Camila Petermann, de Penha, SC. “Poucos são cuidadosos como a Malu é com o Boby”, exemplifica a veterinária, que atende o Lhasa Apso da empresária Malu Felicio, que passou a usar produtos biodegradáveis de higiene no pet quando buscava alternativas para tratar a irritação de pele do Boby. “Ele tinha uma oleosidade no pelo que causava caspas, feridas e coceira na pele. O Boby chegou a usar produtos comuns industrializados, mas respondeu muito melhor ao uso contínuo e constante dos biodegradáveis”, relata Camila. Satisfeita com os resultados e se identificando com a proposta por trás dos produtos, a tutora do Lhasa decidiu se associar à marca e revender os seus produtos. “O Boby já é, há 5 anos, o modelo e garoto-propaganda dessa marca”, se orgulha a tutora, que foi além em sua missão sustentável. Em sua loja virtual, a Via Pet, ela dá desconto para os clientes que devolvem as embalagens vazias dos produtos que vende, envia para reciclagem e o valor arrecadado nesse processo é encaminhado para ONGs de proteção animal na região de Penha, SC, onde mora. “A gente transforma o material reciclável em dinheiro para castrações, medicamentos e outros cuidados para animais resgatados das ruas”, conta.

{PAYWALL_INICIO}

Faça você a diferença

Assim como Malu, é possível fazer a diferença em busca de um mundo mais harmônico. E segundo a gestora de econegócios Raquel Santhos, não é necessário muito esforço, pois pequenas mudanças na rotina de cuidados com os nossos pets são o bastante para fazer uma grande diferença. A profissional, que atua auxiliando empresas a desenvolverem seus negócios de forma sustentável, fundou o perfil Guria Sustentável no Instagram para dar dicas de sustentabilidade para pessoas e empresas. “Me capacitei ao longo de 13 anos para auxiliar pessoas a entenderem o que é melhor para vivermos em plena harmonia e com isso crescermos juntos”, conta a profissional, que listou oito dicas para tutores que querem começar a praticar a sustentabilidade nos cuidados pets:

1- Apoio sustentável

Apoiar marcas sustentáveis, como a tutora de Boby fez, é uma das possibilidades. E, além de comprar produtos e serviços dessas empresas, é importante divulgá-las. Quanto mais pessoas deixarem claro seu interesse por quem atua na proteção do meio ambiente, mais outras empresas que não possuem essas práticas irão perceber a necessidade de adequação. “Assim, muitas empresas se estimulam e, através de um bom exemplo, também vão praticar ações sustentáveis”, comenta Raquel.

2-Tecidos ecológicos

A gestora de econegócios recomenda verificar a procedência das roupas compradas para os pets, como o material utilizado e o tipo de produção. “Indico que o tutor procure por artesãos locais que produzem roupinhas de tecidos ecológicos”, cita a especialista. Fibra de bambu, de abacaxi e algodão orgânico são algumas das alternativas têxteis que podem ser encontradas. “Também existem fabricantes de roupas pet que utilizam tecidos reaproveitados de alguma outra empresa de confecção. Além de lindas, elas são muito originais.” 

A gestora de econegócios Raquel Santhos, a “Guria Sustentável”, em visita ao Boby quando esteve em Santa Catarina em 2018

3- Produtos de higiene sustentáveis

A hora do banho também pode fazer parte da rotina sustentável. A especialista recomenda a utilização de produtos de higiene biodegradáveis e com fórmulas de ingredientes naturais. “Existem linhas produzidas com extratos 100% naturais, certificados e veganos, portanto, livres de crueldade animal”, relata.

4- Economia de água

Falando em higiene, é importante evitar o desperdício de água. Algumas boas táticas que podem ser aplicadas são banhos rápidos, utilização de produtos de fácil enxágue e duchas e controladores de jatos de água. Assim, é possível controlar o consumo, seja dentro de casa ou no pet shop. 

5-Descarte de dejetos

Existem muitas dúvidas sobre a melhor forma de descartar os dejetos dos pets, mas Raquel garante: eles são considerados esgotos sanitários, da mesma forma que os dos humanos. Não importa se são de gatos ou de cachorros. “Por isso, a forma ambientalmente correta para descartar esses dejetos é a mesma, pelo vaso sanitário, para que seja tratado pelo sistema de esgoto. A regra básica é que as fezes devem ser jogadas no vaso, tenham sido feitas em areia, como no caso de gatos, ou nos tapetes higiênicos, mais usados por cachorros”, explica. Portanto, no caso dos bichanos, é importante adquirir uma areia ou granulado higiênico que possam ser descartados com segurança no vaso sanitário ou que não agridam o meio ambiente.

6-Sacos biodegradáveis

O saco não pode faltar no momento do passeio com o seu cachorro, mas ao invés de usar o comum feito de plástico o tutor sustentável tem a opção de recorrer às versões biodegradáveis. “É importante recolher as fezes e embalá-las de forma a evitar o rompimento da embalagem. Depois é preciso levar os dejetos recolhidos de volta para casa, jogar no vaso sanitário e descartar a embalagem utilizada com os demais resíduos da coleta convencional”, descreve Raquel.

7- Equipamentos eficientes

Economizar energia elétrica também é uma forma consciente de praticar sustentabilidade. Com os pets, uma alternativa é utilizar sempre equipamentos adequados e eficientes para a secagem da sua pelagem após o banho, assim o processo pode resultar em uma considerável redução no consumo de energia.

8- Brinquedos reaproveitáveis

Ter uma rotina de brincadeiras é essencial para o crescimento saudável do pet, portanto os brinquedos devem fazer parte da sua vida. Aqui, Raquel dá duas possibilidades. É possível comprar os itens, mas é importante que estes sejam somente os mais interessantes para o seu desenvolvimento, assim evita-se o consumo demasiado de produtos inadequados e, portanto, o desperdício. Outra opção é reaproveitar o que o tutor já tem em casa para criar brinquedos lúdicos. Para gatos, papel amassado em formato de bola e caixas de papelão que podem formar túneis são ótimas pedidas. Garrafas PET e rolos de papel podem ganhar pequenos furos nas laterais e se tornarem brinquedos que liberam petiscos. Um tecido usado, como uma camiseta velha, pode ganhar vários nós e virar um mordedor para o cachorro. São diversas as possibilidades de criação.  


Por Aline Guevara

{PAYWALL_FIM}


Clique aqui e adquirá já a edição 489 da Cães & Cia!