Consultas veterinárias aumentam em 30% no outono

Fot: IstockPhoto

Problemas respiratórios, oftalmológicos e nas articulações estão entre os principais casos, segundo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV)

O outono já começou e é caracterizado por dias mais curtos, com temperaturas frias principalmente à noite e sensação de ar mais seco. Em vista disso, durante a estação, a procura por consultas veterinárias tendem a aumentar em 30%, sendo os casos mais comuns problemas respiratórios, oftálmicos e articulares.

Para cuidar da saúde do seu pet, veja algumas dicas de cuidados durante esta época:

1. Cuidados com os olhos

Ressecamento e irritação da mucosa ocular são os registros mais comuns da estação. Faça sempre a limpeza dos olhos dos pets com água limpa ou solução fisiológica. É importante ficar atento a qualquer alteração para que o animal não venha a ter uma conjuntivite.

2.  Dores nas articulações

Os animais seniores ou acometidos por problemas osteoarticulares podem sentir maior sensibilidade ou desconforto no outono. Sintomas de doenças crônicas articulares, como a osteoartrose, podem surgir. Fique alerta em relação à dores nas articulações ou coluna do seu pet. Para prevenir, é importante fornecer uma alimentação rica em proteínas e com protetores articulares (condroitina, glicosamina, colágeno) em toda a vida dos pets para que não venham a sofrer com essas afecções ao envelhecer. Caso perceba alguns desses sinais, procure o médico-veterinário.

3.  Evite aglomerações

 Vírus e bactérias do aparelho respiratório são também transmitidos pelo ar e cães e gatos podem ser contaminados, e, consequentemente podem gerar enfermidades para terceiros. 

4. Cuidado com a gripe

A baixa umidade é comum nesta época o que aumenta a propagação de doenças respiratórias causadas por vírus ou bactérias. As mais comuns são a traqueobronquite infecciosa canina, mais conhecida como tosse dos canis, e a rinotraqueíte infecciosa, causada pelo vírus HFV-1, que acomete os gatos. Animais filhotes e idosos são os mais afetados acompanhados dos pets com focinhos mais curtos – como é o caso dos cães da raça Pug e dos gatos Persas. Os sintomas são semelhantes aos da gripe humana, como tosse, febre, coriza, espirros e falta de apetite.

O que pode auxiliar na regressão desses problemas é o uso de inalação, orientada pelo veterinárioUma dica caseira que também pode ajudar na hidratação das vias aéreas é colocá-los dentro do banheiro quando alguém estiver tomando banho. Eles inalarão o vapor da água e ficarão menos estressados.

5. Cuidados com a alimentação e hidratação dos pets

Para manter a imunidade alta, é necessário cuidar da alimentação e da hidratação. É importante oferecer alimentação de qualidade, rica em nutrientes, que ajude a mantê-los saudáveis.  Nos dias frios, os animais tendem a diminuir a ingestão de água. Por isso, mantenha sempre água limpa e fresca à disposição e ofereça alimentos com maior umidade, como é o caso de sachês e patês completos e balanceados, para aumentar ainda mais a ingestão hídrica dos pets.

6. Cuidados com pulgas e carrapatos

Nessa estação do ano, como as folhas e pastagens estão mais secas, as parasitoses tendem a se proliferar, aumentando as infestações. Tenha cuidado com os locais que seu pet passeia e mantenha-o sempre imunizado contra os endo e ectoparasitas.

7. Vacinação em dia

Mantenha a vacinação dos cães e gatos em dia. Os pets precisam ser imunizados anualmente contra diversas afecções. Essa prática é imprescindível para os manter protegidos e para proteger os demais animais à sua volta.


Por:
Kelly Maiara Lopes Carreiro é Médica – Veterinária | Analista de Desenvolvimento de Conteúdo da Special Dog Company, uma das maiores fabricantes de alimentos para cães e gatos do Brasil, acesse o site: https://www.specialdog.com.br/

Mariana Durante
www.ienoticia.com.br


Clique aqui e adquirá já a edição 490 da Cães & Cia!