Chow Chow: chega de preconceito!

04/01/2017 - 10:23

Saiba porque taxar o Chow Chow de agressivo é difamar a raça

Cão: Armani Canil: Nahumb Propr.: Humberto Augusto Culere Gil Foto: Arquivo pessoal

Cão: Armani Canil: Nahumb Propr.: Humberto Augusto Culere Gil Foto: Arquivo pessoal

Por onde ele passa, atrai olhares com sua pelagem de ursinho de pelúcia, expressão carrancuda de leão, caminhar com passadas curtas e saltitantes e língua preto-azulada. Bem posicionado no ranking de popularidade da CBKC, o Chow Chow ocupou a 35ª posição com 698 registros em 2015, entre 173 raças caninas. Mas esteve melhor. Em 2006, por exemplo, era a 25ª raça mais popular, com 884 registros. Qual o motivo da queda

Quem é do meio tem a resposta na ponta da língua: a raça está sofrendo a consequência do preconceito que se abateu sobre ela. Assim como aconteceu com o Pit Bull, houve casos de Chows atípicos, agressivos, que repercutiram na mídia e as generalizações começaram a acontecer. “Injustamente, a imagem da raça se tornou péssima”, aponta Thiago Melo, que desde 2011 cria Chows juntamente com sua esposa, Gabriela Dias, pelo canil Changathi, situado em Piracaia, SP. “Na verdade, o verdadeiro Chow Chow é o oposto do que sugerem as difamações”, ressalta ele, de cujo canil saiu Changathi Cream Perola, a melhor fêmea da raça do Brasil pelos rankings CBKC e DogShow 2016 (resultado parcial até novembro).

O ponto de vista de Thiago é compartilhado pelos entrevistados desta matéria, pessoas experientes no convívio com a raça em diferentes situações. “Infelizmente, entre os que não conhecem bem o Chow há até adestradores e veterinários”, lamenta Thiago. “Dessa maneira, conceitos incorretos estão sendo repassados, o que contribui para a propagação e a permanência da imagem distorcida.”


Saiba mais adquirindo a edição 451 da revista Cães & Cia.

https://www.editoratopco.com.br/loja/caes-e-cia/categoria