Eu amo a raça Yorkshire Terrier!

06/06/2017 - 08:05

Veja opiniões de veterinário, criadores e tutor e saiba mais sobre a convivência com esse valente terrier

Ronaldo Rufino/ Canil Jealous Toy

Ronaldo Rufino/ Canil Jealous Toy

Ele é fofo, peludo, tão pequeno que pode ser levado para todo lado e permaneceu entre as cinco raças mais criadas do Brasil dos anos 2000 até hoje, segundo regis-tros da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC). O Yorkshire Terrier, ou Yorkie como é carinhosamente chamado, já conquistou sua legião de fãs no Brasil. Para quem ainda tem dúvidas sobre os porquês de esse pet ser tão especial, conversamos com um veterinário, criadores e tutor que têm o prazer de conviver com um ou diversos exemplares dessa raça. Eles traçaram um panorama da criação nacional e alertaram sobre cuidados importantes na hora de escolher um Yorkie e garantir o bem-estar da raça, quando já se tem um pet desses em casa. 
 
Só amor
A paixão da criadora Neide Maria de Vasconcelos Duarte, do canil Brava Kennel, de Imbituba, SC, que cria Yorkies há 13 anos, pela raça surgiu quando ela tinha 11 anos de idade. Sua vizinha, na época, tinha uma Yorkie, a Bela, com quem brincava. “Bela era tão dócil que deixava eu fazer tranças nela. Além disso, tinha muitas roupas, elásticos e laços para os pelos. Isso tudo me fascinou. Cresci dizendo que seria criadora da raça”, diz Neide, há 6 anos melhor criadora da raça no ranking Dog Show. “A raça sempre será popular por todo seu encanto, beleza e carisma, além da facilidade de mantê-la dentro de casa, tanto pelo tamanho como por não trocar de pelo”, conta. Opinião compartilhada por Sônia Hamerski, do canil JealousToy, de Maricá, RJ, que se dedica há 29 anos à sua criação. Sônia começou criando Poodles, mas sua paixão eram os Yorkies. “Gostam de ter atenção dos donos. Alegres e brincalhões, manifestam sua alegria abanando o rabinho pela nossa presença ou por qualquer agrado, brinquedo novo ou petisco que recebam. Tudo é motivo para Yorkies demostrarem alegria e darem início a uma brincadeira”, descreve Sônia. 

Saiba mais adquirindo a edição 456 da revista Cães & Cia.
https://www.editoratopco.com.br/loja/caes-e-cia/categoria