Rastreador Brasileiro: por onde ele anda?

06/06/2017 - 08:08

Ele já foi considerado extinto, mas hoje é uma realidade na cinofilia brasileira

RASTREADOR BRASILEIRO: FARO APURADO USADO EM PROL DA SOCIEDADE/ Crédito: Estúdio Nelson Reis/Cão: Yara RB da Fazenda Tal

RASTREADOR BRASILEIRO: FARO APURADO USADO EM PROL DA SOCIEDADE/ Crédito: Estúdio Nelson Reis/Cão: Yara RB da Fazenda Tal

Desenvolvido a partir da década de 1950 para a caça de Onça-Pintada e Porco-do-Mato, o Rastreador Brasileiro adaptou-se à conscientização ecológica de hoje. “Resistente e de sentidos muito aguçados, ele vem sobressaindo como cão de busca e resgate”, diz Marcus Túlio Costa, do canil Mundurucânia, de Manaus.
Seus admiradores ressaltam não só a funcionalidade, mas também sua beleza e destacam o fato de ele estar alcançando bons resultados nas exposições. “Chama atenção, entre outras coisas, pelas orelhas longas, característica que a criação selecionada procura obter”, afirma Gilson Macedo, do canil Águas de Itacaré, de São Paulo. 
Em ambiente urbano, o Rastreador demonstra ser companheiro amoroso da família. “Dócil e muito disposta a brincadeiras, a raça pode exercer a função de cão-terapeuta”, conta Ivan Luís Gomes, do canil Serra da Canastra, de Sacramento, MG. É também ótima no alarme. “O urro forte, sua principal característica, intimida”, garante Marcus. “Começa com uma sequência gutural e evolui até se tornar sinuoso e agudo, uma sinfonia para os ouvidos dos amantes da raça e dos cães de caça”, reforça Ivan.

Saiba mais adquirindo a edição 456 da revista Cães & Cia.
https://www.editoratopco.com.br/loja/caes-e-cia/categoria