Como anda o Whippet pelo mundo

03/01/2019 - 16:33

Investigamos em quais países esse cão tem feito sucesso e conquistado as pessoas com seu companheirismo, energia e alegria

Foto: Johnny/Cão: BSC Valentina/Propriedade: canil BSC

Foto: Johnny/Cão: BSC Valentina/Propriedade: canil BSC

O Whippet chama atenção primeiramente pela aparência. Esse esbelto cão pertence ao grupo 10 da Federação Cinológica Internacional (FCI), cujos integrantes são conhecidos como Galgos e se notabilizam pelo físico elegante, porém nada frágil. “O Whippet é harmonioso, mas com força e potência muscular para atingir altas velocidades, marca registrada da raça”, ressalta Daniele Scandolara, do canil BSC, de Arealva, SP. Mas ele não conquista as pessoas apenas com sua curiosa beleza. Seus admiradores também se apaixonam prontamente pelo seu temperamento. “Ele é muito dócil, companheiro e apegado ao dono, a quem ama incondicionalmente, demonstrando todo esse carinho de maneira delicada e apaixonante”, completa a criadora.

 

Nativo da Grã-Bretanha, o Whippet provavelmente descende, dentre outros cães, do Greyhound, representante de porte grande do grupo dos Galgos. Ao longo da história das duas raças, ambas foram utilizadas em corridas. Quanto ao Whippet, elas começaram a ocorrer nos anos 1800, na Inglaterra, sede da entidade máxima da cinofilia britânica, o The Kennel Club (TKC). Em 1891 o TKC reconheceu a raça, embora já fosse exibida em exposições do país desde, pelo menos, 1876. O Whippet já havia sido aceito em 1888 pelo American Kennel Club (AKC), dos Estados Unidos, e posteriormente veio a admissão pela FCI, que hoje conta com 94 países membros. Alguns deles se destacam por registrar um número significativo de Whippets anualmente. Em todas essas nações é comum a utilização de exemplares da raça principalmente como companheiro da família, mas também em diferentes atividades relacionadas a corridas.

 

Confira esta matéria na íntegra adquirindo a edição 474. Clique aqui!

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/categoria