Meu cachorro tem problema renal. E agora?

01/02/2019 - 10:21

Saiba como a doença renal afeta o cão e quais as melhores práticas para lidar com o problema e oferecer qualidade de vida ao seu pet

Bill_Anastasiou/iStock.com

Bill_Anastasiou/iStock.com

Cissa é uma Lhasa Apso de 17 anos que há cinco convive com a Doença Renal Crônica (DRC). Sua tutora, a engenheira Mariana Canal, de São Paulo, conta que descobriu a doença durante os check-ups de rotina. No início, a recomendação do veterinário foi o monitoramento da doença, por meio de exames periódicos laboratoriais (de sangue e de urina), da pressão arterial e de imagem (ultrassonografia). Com o tempo, a doença foi progredindo e outras ações foram necessárias para garantir a qualidade de vida de Cissa. Graças a elas, e ainda que em idade avançada, a pet demonstra estar em melhor forma que muitos peludos por aí. Trata-se, com certeza, de um caso de sucesso. 

 

Mas será que a realidade dos milhares de cães que são diagnosticados anualmente com doença renal também é assim? Na maioria das vezes, não. A veterinária Karine Klaine, vice-presidente do Colégio Brasileiro de Nefrologia Veterinária (CBNUV) e membro da American Society of Veterinary Nefrology and Urology, destaca que a DRC está entre as maiores causas de óbito na clínica de pequenos animais no país. O médico-veterinário Luciano Giovaninni acrescenta que a DRC é irreversível e progressiva. “Isso quer dizer que não tem cura, mas sim controle e tratamento para seus sintomas decorrentes, bem como para minimizar sua taxa de progressão”, aponta Luciano, que é sócio-fundador e diretor do CBNUV, coordenador da Especialização em Nefrologia e Urologia em pequenos animais da Anclivepa–SP e responsável pelo atendimento em Nefrologia Veterinária do UnicPet e Naya Especialidades. 

 

Confira esta matéria na íntegra adquirindo a edição 475. Clique aqui!

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/categoria