Fila Brasileiro: admirado até fora do Brasil

14/05/2019 - 15:05

O mais famoso guardião nacional se destaca pela aversão a estranhos e tem fãs pelo mundo todo

Foto: Roberto Sene/Nome do cão: Kaiser Da Sena Sene

Foto: Roberto Sene/Nome do cão: Kaiser Da Sena Sene

Também em 2017, 30 Filas foram registrados pelo Kennel Clube Uruguayo. “Muito pouco do plantel daqui participa de exposições. A própria raça não foi desenvolvida pensando-se nesses eventos, sempre foi um cão de trabalho”, afirma Daniel Balsas, do canil Piedras de Afilar, do Uruguai.

Já a Real Sociedad Canina de España emitiu 102 pedigrees para Filas em 2017. “Nos primeiros anos de sua presença em meu país, o Fila Brasileiro foi um pouco utilizado para a caça de javalis em matilhas, mas hoje desconheço que seja empregado nessa função”, comenta José Salvador, do canil El Siledín, um dos dez em atividade que se dedicam à raça na Espanha. O criador conta que, naquele país, nos anos 1990, um Fila trabalhou como cão de polícia e alguns foram treinados para provas de obediência. “Porém hoje em dia não conheço exemplar da raça usado nessas atividades. Mesmo nas exposições são muito poucos os Filas que concorrem na Espanha”, diz José.

Na França, Filas Brasileiros já frequentaram competições de obediência, mas desde 2016 não há mais exemplares da raça participando. “Por aqui, para praticá-las, o cão deve passar por um teste para obter o Certificat de Sociabilité et D´Aptitude à l´Utilisation, que, assim como a própria prova de obediência, possui exercícios que vão de encontro com a ojeriza a estranhos típica da raça”, explica Michèle, que ressalta também o fato de, naquele país, o Fila estar proibido de praticar atividades que incluam mordidas, como o Mondioring. Os políticos de lá receiam que, por meio desses treinamentos, cães muito grandes e de temperamento dominante como o Fila possam ser incentivados a atacar outras pessoas. Na França tem havido diversos acidentes com mordidas de cães em humanos, apesar de nenhum deles envolver o Fila Brasileiro até o momento.

Confira esta matéria na íntegra adquirindo a edição 478. Clique aqui!

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/