Heróis de quatro patas de Brumadinho

14/05/2019 - 15:15

Em meio a tanta destruição e sofrimento, descubra o importante papel que os cachorros do Corpo de Bombeiros estão executando junto a seus condutores para localizar desaparecidos na cidade mineira

Foto: Mitchell Nazar /Instagram: @mnazar01

Foto: Mitchell Nazar /Instagram: @mnazar01

Dando continuidade à nossa série de reportagens sobre cães de serviço, nós, da Cães & Cia, diante dos tristes acontecimentos na região de Brumadinho, MG, não poderíamos deixar de citar o importante trabalho que está sendo feito pelo Pelotão de Busca e Salvamento com Cães do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que conta com a expertise – e o olfato apurado – dos cães para auxiliar nas buscas por desaparecidos e restos mortais.

“O Pelotão é acionado sempre em ocorrências de pessoas perdidas em matas, desabamentos e soterramentos, como no caso do rompimento da barragem do município mineiro”, explica o 1º tenente Lucas Silva Costa, comandante do Pelotão e condutor de Thor, de 5 anos, da raça Border Collie. O militar explica que enquanto as equipes terrestres trabalham com o auxílio de maquinários pesados para revirarem todo o material de rejeito, os cães ficam de prontidão para atuarem em áreas com suspeitas de restos mortais.

A seguir, descubra toda a trajetória de três dos sete supercães , que, com toda certeza, estão prestando um serviço e tanto à comunidade de Brumadinho: Thor e Bolt, da raça Border Collie, e a Pastor Belga Malinois Anúbis.

 

Corpo de Bombeiros

Aladir Gonçalves de Oliveira Junior, soldado do Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte, comenta que não há raça específica para atuar no Pelotão de Busca e Salvamento com Cães. Contudo, segundo o militar, existem algumas raças aptas a desenvolver o serviço com mais facilidade, como Pastor Belga Malionois, Border Collie, Pastor Alemão e Labrador. “Esses cães se enquadram nos quesitos de resistência física, rusticidade e um elevado padrão de impulsos naturais, como a caça. Esta é uma característica que auxilia muito no processo de formação de um cão bombeiro”, explica o condutor da cadela Anúbis, da raça Pastor Belga de Malinois, de 3 anos e 3 meses, presente na operação.

Confira esta matéria na íntegra adquirindo a edição 478. Clique aqui!

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/