Miniguia para cuidar da pelagem do cão ou gato

02/10/2019 - 17:44

Com este conjunto de dicas você poderá preservar a aparência do seu pet com facilidade

Cão: Bob - Lhasa Apso | Propr.: Malu Felicio | Foto: Sabrina nas Fotografias

Cão: Bob - Lhasa Apso | Propr.: Malu Felicio | Foto: Sabrina nas Fotografias

As pelagens dos cães e gatos podem ser classificadas em cinco grandes grupos, cada qual com dicas específicas de beleza para sua manutenção. Além disso, há um conjunto de orientações gerais, úteis para todo tipo de pelagem. Para uma melhor compreensão do vasto mundo do banho e tosa, reunimos aqui as dicas de renomados profissionais do setor.

PELOS LONGOS E LISOS

Os vistosos pelos longos de cães como o Afghan Hound e o Yorkshire Terrier, e de gatos como o Persa e Himalaio, bem como dos vira--latas peludos, precisam de escovação diária ou, pelo menos, três vezes por semana. Também são indicados dois banhos semanais, pois as pelagens longas embaraçam muito e tendem a reter pó por serem arrastadas no chão.

As melhores escovas para esse tipo de pelagem são aquelas com pinos sem bolinhas nas pontas e as rasqueadeiras de pontas polidas (não apenas cortadas). Para as pelagens longas de textura mais lisa e sedosa, como as do Yorkshire Terrier ou do Persa, que são mais quebradiças e exigem maior delicadeza no manuseio, prefere--se pinos mais finos e flexíveis na base. Já para os pelos longos, que oferecem maior resistência, como os retos, pesados, espessos e ásperos do Lhasa Apso, é conveniente que a escova tenha maior firmeza para facilitar a retirada dos nós e o excesso de pelos. De qualquer forma, ambas pelagens precisam ser trabalhadas com atenção para evitar a quebra dos fios.

 

POSSIBILIDADES DE TOSA

 

Animais com pelagem longa oferecem várias possibilidades de tosa, além das mais tradicionais, obrigatórias para exposições.

Mensalmente ou quinzenalmente, de acordo com o crescimento dos fios, é feita a tosa higiênica, com tesoura ou máquina dependendo do estilo desejado. O trabalho consiste em aparar ao máximo os pelos ao redor do ânus e dos genitais, para evitar o acúmulo de urina e fezes, o que ajuda a manter a limpeza do animal e a ausência de odores. Nessa tosa, também são cortados os pelos das patas para melhor aderência dos coxins ao chão, evitando escorregões e acúmulo de umidade nos pelos, causa de dermatites. Aproveita-se a oportunidade para dar uma acertada no topete e nas franjas do cão e para arredondar a pelagem que cobre as patas.

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/edicao-482-outubro-2019-edicao-de-colecionador-2731.html