16 fatos curiosos sobre o milenar Lhasa Apso

16/04/2020 - 10:42

Confira dados sobre sua história de origem no Tibete até suas características físicas e fatos curiosos relacionados à raça

Cão: Boby VanDyke. Propr.: Malu Felício. Foto: Sabrina nas Fotografias

Cão: Boby VanDyke. Propr.: Malu Felício. Foto: Sabrina nas Fotografias

Considerado um dos cães mais antigos da cinofilia, o Lhasa Apso é uma raça cheia de curiosidades, lendas e fatos interessantes. A seguir, listamos alguns pontos que todo amante da raça – ou entusiasta – deveria saber.

 

1. Nome original

O nome original da raça era Abso Seng Kye, que significa Cão Leão de Sentinela que late, fazendo referência à valentia do pequeno cão e sua função de alarme, já que com seus latidos, o Lhasa avisa se há algo estranho em seu território. No Tibete eles eram usados para proteger o interior dos monastérios, que ficavam isolados nas montanhas do Himalaia. 

 

2. Raça milenar

A origem do cão Lhasa Apso é bastante antiga. Aliás, ele é considerado um dos mais antigos cães de raça. Acredita-se que tenha surgido por volta de 800 a.C. 

 

3. Significado do nome

Lhasa (ou Lassa, palavra tibetana) é o nome da capital do Tibete. Já a palavra Apso, não se sabe ao certo de onde veio. Uns acreditam que signifique “pelo longo”, outros que é uma referência à palavra cabra – “rapso” –, pois se sua pelagem não for mantida de forma correta, fica parecida com a das cabras.

 

4. Raça tibetana

Assim como o Terrier Tibetano e o Spaniel Tibetano, o Lhasa é uma raça nativa do Tibete. Como característica em comum, as três raças têm a bela e longa pelagem. Porém, o Lhasa foi o primeiro entre elas a ser aceito oficialmente como raça pelo American Kennel Club (AKC), fato que aconteceu em 1935. Já na Federação Internacional de Cinofilia (FCI), a raça foi aceita em 1960. 

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/edicao-de-colecionador-abril-maio-2020-digital-2774.html