Inteligência emocional canina: o que sabemos sobre ela?

16/04/2020 - 10:44

Saiba como desenvolvê-la no seu pet e ter um animal emocionalmente equilibrado

Cão: Archer DMD. Canil Duarte DWK. Foto: Johnny Duarte

Cão: Archer DMD. Canil Duarte DWK. Foto: Johnny Duarte

Muitos donos de cães entendem que garantindo a saúde física do animal, com check-ups regulares no médico-veterinário, eles terão um cão 100% saudável. Contudo, muitos esquecem que o lado emocional, cognitivo e social do pet também precisa ser desenvolvido para que o animal não tenha problemas como falta de confiança, ansiedade, depressão, compulsões, entre muitas outras desordens de origem emocional. Assim, a inteligência emocional do cão não pode ser deixada de lado em sua criação e manejo. 

Segundo a médica-veterinária Ceres Berger Faraco, de Porto Alegre, diretora científica e professora do Instituto de Saúde e Psicologia Animal e presidente da Associação Latinoamericana de Zoopsiquiatria (AVLZ), a inteligência emocional do cão expressa a forma com que ele identifica as suas próprias emoções e de outros cães ou humanos. “Um exemplo é sua habilidade para entender e interpretar o que as pessoas sentem, e reagir de acordo. Para isso, utilizam processos cognitivos ao assimilar, perceber, entender, regular as próprias emoções e ajustar com as dos outros ao comunicar-se”, explica. “Cabe lembrar que a espécie canina tem uma organização social sofisticada, é gregária por natureza, o que a faz necessitar da vida social com as pessoas e os da mesma espécie. Além disso, sofreu uma pressão evolutiva ao conviver, provavelmente, por mais de 35.000 anos de forma íntima com os humanos, ampliando suas capacidades perceptivas e comunicativas”, ressalta.

Joyce Magalhães, de Teresina, médica-veterinária da clínica Bichos e Mimos, explica que a inteligência emocional é crucial no desenvolvimento dos cães. “É através dela que eles constroem suas experiências. A referência mais antiga sobre inteligência emocional foi feita por Charles Darwin, que destaca a importância da expressão emocional para a sobrevivência e adaptação ao meio”, ressalta Joyce, que é idealizadora do projeto “Cápsulas de amor”, que consiste no tratamento da saúde emocional de pacientes assistidos através do toque, musicoterapia e contação de histórias. 

 

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/edicao-de-colecionador-abril-maio-2020-digital-2774.html