Saúde das orelhas: o que é preciso saber?

16/04/2020 - 10:47

Entenda as causas e os sinais que indicam que o cão ou gato está com inflamação nos ouvidos e aprenda a cuidar do problema

Zalan Vizsla Carioca. Canil Vizsla Carioca. Foto: arquivo pessoal

Zalan Vizsla Carioca. Canil Vizsla Carioca. Foto: arquivo pessoal

Você sabia que usar produtos no pet não recomendados pelo veterinário, limpar as orelhas do peludo com hastes de algodão flexíveis e arrancar os pelos internos dos ouvidos do animal são atitudes que podem acabar causando uma inflamação no ouvido do mascote em vez de higienizar? Isso não quer dizer que você não deva realizar a limpeza das orelhas do seu pet em casa. O importante é, primeiro, conhecer a forma adequada de realizar a higiene para manter a orelha do peludo sempre saudável. 

A primeira dica é que cães e gatos não precisam de cuidados especiais com suas orelhas quando não possuem nenhuma enfermidade nessa região. Isso é o que afirma Clarissa Pimentel de Souza, veterinária que tem especialização e pós-doutorado em Dermatologia Veterinária e é professora assistente de Dermatologia e Otologia Veterinária na University of Illinois, dos Estados Unidos. “O tutor deve seguir sempre as recomendações do veterinário para manter os cuidados com as orelhas do animal. Para casos em que haja uma infecção prévia, isso é ainda mais importante porque existem diversas causas para a otite e que precisam ser investigadas e tratadas adequadamente”, destaca a profissional. 

Embora gatos também possam apresentar otite (inflamação na região do ouvido), o problema é mais comum em cães devido à anatomia das orelhas dessa espécie. A conformação das orelhas de algumas raças de cães favorece a inflamação dos ouvidos como no caso dos animais de orelhas pendulares (caídas), que possuem canais auditivos mais estreitos ou que têm excesso de pelos dentro do canal das orelhas. De acordo com o veterinário Bruno Pietroluongo, pós-graduado em Dermatologia Veterinária, professor e mestre em Dermatologia Veterinária e responsável pelo serviço de Dermatologia do HOVET Anhembi Morumbi (São Paulo), os cães das raças Cocker, Pastor Alemão, Pug, Bulldog Inglês e Buldogue Francês costumam ser mais acometidos por uma produção de cerume exacerbada, o que os predispõe a otites recorrentes – aquelas que “não passam” e que deixam muitos tutores e veterinários preocupados. Já cães como o Shih Tzu, Lhasa Apso, Labrador e Golden Retriever são, geralmente, vítimas das dermatites alérgicas e apresentam com frequência a inflamação dos condutos auditivos por conta disso. Por fim, outras raças, como Poodle e Schnauzer, podem ter uma grande quantidade de pelos dentro das orelhas. “Essas alterações facilitam o acúmulo de cerume dentro do canal auditivo que, juntamente com uma doença inflamatória como a alergia, fazem com que os cães rotineiramente desenvolvam infecções nas orelhas”, explica Clarissa. Porém, independentemente da raça e da anatomia da orelha, todos os animais podem ter uma doença primária que cause inflamação auricular e que precise ser investigada pelo médico-veterinário.

https://www.caes-e-cia.com.br/loja/edicao-de-colecionador-abril-maio-2020-digital-2774.html