GUIA DE RAÇAS


Akita
Foto: Glukharev Boris/ Kennel Rosia Kara

• Função na família: Companhia e guarda.
• História: Originou-se de cães chamados “Akitas Matagis” (cães de tamanho médio para caça ao urso). Ao longo da criação da raça, outros cães foram introduzidos a fim de aumentar seu porte, como o Tosa e Mastiffs.
• Tamanho: De 58 a 70 cm.
• Temperamento: Por um lado, sua personalidade é forte e im- petuosa, e, por outro, meiga, carinhosa e extremamente leal. Cão de guarda silencioso, de nobreza singular, é agressivo só em iminente invasão do território.
• Convívio: Sua teimosia exige pulso firme e liderança. Precisa de boa educação desde filhote. Em geral, não convive bem com outros animais, nem outro Akita que seja do mesmo sexo.
• Curiosidade: O vermelho é a cor mais conhecida na raça.


Australian Cattle Dog
Foto: The Kennel Club/ Cães: Warrigal Blue Jamberoo e Rosy Red Ruby/ The Cooley’s T Bone & Fio

• Função na família: Companhia. Ideal para a guarda do fazen- deiro, do rebanho e da propriedade.
• História: Desenvolvido para agrupar e conduzir rebanhos, tendo como principal requisito ser um cão forte e mordedor, com grande energia e capaz de ir reunindo e movendo o gado.
• Tamanho: De 43 a 51 cm.
• Temperamento: Sempre alerta, é extremamente inteligente, atento, corajoso e fiel, com uma implícita devoção ao dever, o que o torna um cão de trabalho ideal.
• Convívio: Precisa de atividades mentais e físicas diárias para ser equilibrado. Gosta de seguir o dono por todo lado. Com es- tranhos, possui desconfiança natural.
• Curiosidade: Também chamada de Blue Heeler e Red Heeler, as únicas cores aceitas são azul-mosqueado e o ruivo-salpicado.


Australian Shepherd
Foto: William Moores/ Cão: Caitland Isle Take a Chance/ Propr.: Nancy Resetar of Royal Oaks

• Função na família: Companhia, pastoreio e esportes.
• História: Apesar de o nome da raça se referir à Austrália, ela se desenvolveu no oeste americano, onde continua a ser usada na função original: pastoreio e proteção de ovelhas e gado.
• Tamanho: De 51 a 58 cm (machos) e de 46 a 53 cm (fêmeas). • Temperamento: Esse belo, dócil e sensível protetor da família gosta de agradar o dono, por quem é apegado. Adora colo.
• Convívio: Cão versátil, se adapta a diferentes rotinas. Exige atividade diária, atenção e treinos. Não gosta de brincar sozi- nho; precisa de companhia, seja de pessoa ou de outro cão. Es- covação pode ser semanal ou diária.
• Curiosidade: A raça começou a ganhar maior projeção em meados do século XX, divulgada em rodeios, apresentações equestres e em filmes da Disney e outros para a TV.


Foto: Vera Krizova/ Kennel Queen’s Hermelín
Basset Hound

• Função na família: Companhia, alarme e caça.
• História: Foi supostamente criado por monges na França, na Idade Média, para caçar em terrenos com densa cobertura, sen- do capaz de manter seu nariz perto do chão. Mesmo com origem francesa, a raça foi desenvolvida à perfeição na Grã-Bretanha.

Tamanho: De 33 a 38 cm.
• Temperamento: Tenaz, afetuoso e sempre atento, é um cão plácido, nunca agressivo ou tímido.
• Convívio: Pode ser teimoso, exigindo dono que o eduque com carinho e paciência. Não gosta de exercícios intensos. É sociá- vel com todos, até com quem não conhece. Por ter instinto de matilha, gosta de conviver com outros cães. Exige escovação semanal e banhos ocasionais.
• Curiosidade: Sua voz é melodiosa e profunda.


Foto: Canil Lane Rae Beagles/ Cão: AKC Ch Sightnscent Cooler Than Me at Lane Rae/ Prop.: Alayne Rae Mullen
Beagle

• Função na família: Companhia, caça e esportes.
• História: Acredita-se que foi desenvolvido a partir do grande Foxhound para caçar com os homens a pé, de preferência atrás de lebres.
• Tamanho: De 33 cm a 40 cm.
• Temperamento: É equilibrado, amável, alerta, vigilante, ale- gre, corajoso, com grande vigor e determinação.
• Convívio: Cheio de entusiasmo, está sempre pronto para qual- quer atividade que o envolva. Banhos mensais e escovação se- manal bastam, pois soltam pouco pelo. Não deve ser deixado sozinho por muitas horas. Importante ficar atento ao peso do cão, pois é guloso.
• Curiosidade: O Beagle original, dos Estados Unidos, tinha pernas mais curtas e cabeças menores, como os Dachshunds.


Bernese (Boiadeiro Bernês)
Foto: American Kennel Club

Função na família: Companhia e guarda.
História: Começou a ser criado de maneira organizada a par- tir de 1907. Atuava principalmente como cão de fazenda, na condução de rebanhos, guarda da propriedade e tração.
Tamanho: De 64 a 70 cm (machos); e de 58 a 66 cm (fêmeas). • Temperamento: É confiável, atencioso, vigilante, corajoso diante de situações do cotidiano, amável e fiel para com a famí- lia. Pacífico com estranhos, é um cão dócil.
Convívio: Late pouco, exige exercícios em horários mais fres- cos, treinamento consistente e contato próximo com o dono. Se dá bem com outros pets e cães.
Curiosidade: Na França existem competições em que puxam carroça (attelage). A raça também é empregada em operações de salvamento, mais especificamente resgates na água.


Bichon Frisé
Foto: Chris Lynch/Canil Paray Bichon Frise/ Criador: Paul Flores/ Cão: CH Paray’s Propaganda


Características físicas: Aparência viva, alegre, comunicativo, mede de 24 a 30 cm de cernelha, sendo preferidos sempre os exemplares menores. Cabeça arredondada, orelhas caídas, olhos, trufas e lábios escuros. Só existem com pelagem branca, mas a pele pode ter salpicos ou pintas pretas. Seu pêlo é frisado, mas denso e armado. É uma raça muito forte, adoecendo raramente. Muito glutão.

Comportamento: Cão alegre e comunicativo, não gosta de ficar sozinho, superinteligente, chega a participar de brincadeiras de crianças. É um ótimo cão de companhia, servindo de compania também para pessoas idosas.

Cuidados especiais: Escovação semanal e banhos.


Biewer Terrier
Foto: Kelly Easter/ Canil Windson Biewers/ www.windsongbiewers.com

• Função na família: Companhia.
• História: É parente próximo do Yorkshire Terrier, tendo sur- gido em ninhada dessa raça, a partir de um filhote tricolor (azul- -aço, dourado e branco).
• Peso: Até 3,6 kg.
Temperamento: Muito alegre e divertido. Embora às vezes travesso, é muito obediente e companheiro leal.
• Convívio: Muito dócil, brincalhão e sociável, recebe pessoas estranhas e crianças balançando o rabinho. Exige escovação di- ária e banhos semanais para manter a pelagem sedosa.
• Curiosidade: Entrou na cinofilia em 1989 com o nome Biewer Yorkshire a La Pom Pon.




Boston Terrier

Foto: The Kennel Club/ Cão: Bright & Brindle’s Top of the Line/ Propr.: Mrs J S Simonsen/ Crufts 2014

Particularidades: Em função do focinho curto, é comum a emissão de ruídos, também se cansam facilmente após os exercícios. deve-se ter alguns cuidados e evitar muita exposição ao sol, bem como ao calor ou frio excessivos.

Características físicas: Pêlo curto, orelhas longas e triangulares, olhos redondos e proeminentes, tornando sua expressão inteligente e alerta.
Cabeça quadrada e proporcional ao corpo, focinho curto com os lábios cobrindo os dentes quando a boca estiver fechada; cauda curta, de inserção baixa, em formato de saca-rolhas ou reta, corpo compacto e musculoso, sendo que as fêmeas são menores que os machos.

Porte: existem três portes: leves (com menos de 6,8 kg), médios (entre 6,8 e 9,1 kg) e pesados (com 9,1 a 11,5 kg).

Comportamento: Meigo, dócil, curioso, ativo, corajoso e inteligente. Por estas características, estes cães são ótimas companhias, inclusive numa casa onde existam crianças ou idosos. Cores: tigrado ou preto, ambos com marcações em branco.

Particularidades: Em função do focinho curto, é comum a emissão de ruídos, também se cansam facilmente após os exercícios. deve-se ter alguns cuidados e evitar muita exposição ao sol, bem como ao calor ou frio excessivos.




Bóxer

Foto: Igor Maneschy.com/Cão: Katie Morgan/Criação: Canil Rancho do Bola

Função na família: Companhia e prote- ção do lar.
História: Foi desenvolvido a partir do Brabant Bullenbeisser.
• Tamanho: De 57 a 63 cm (machos); e de 53 a 59 cm (fêmeas).
Peso: De 25 a 30 kg.
Temperamento: Extremamente leal, equilibrado e afetuoso com os donos, ele cria elos com todos os membros da família. É um protetor corajoso e inteligente, espe- cialmente com crianças, por quem é apai- xonado. Está sempre pronto para brincar. Na guarda, se desafiado, mostra-se um cão determinado e incorruptível.

• Convívio: Embora possa viver fora de casa, ama uma poltrona confortável na companhia do dono. É fácil de ser treinado. Naturalmente limpo e asseado, precisa de banhos regulares e escovação quinzenal.

• Curiosidade: Cão bastante equilibrado, late pouco, somente quando necessário.
• Revisão técnica: José Antônio, do canil Rancho do Bola.


Cane Corso Italiano
Foto: Edmilson Reis/ Cão: Luthero Dei Romão D’Itália/ Canil Romão D’Itália

• Função na família: Guarda, defesa pes- soal e companhia.
• História: É um cão molosso com origem nos grandes cães de combate vistos em es- culturas assírias dos anos 600 a.C. Seus an- cestrais eram usados pelos romanos para a proteção de propriedades e treinados pelo exército para atacar inimigos durante as batalhas. Entrou oficialmente na cinofilia em 1994, quando foi reconhecido pelo Ente Nazionale della Cinofilia Italiana. Criado hoje em 33 países, vem mostrando ascen- são meteórica nas estatísticas de registros de nações tradicionais na criação de cães.

• Tamanho: De 58 a 70 cm.
• Peso: De 40 a 50 kg.
• Temperamento: Trata-se de cão sere- no, nada barulhento nem hiperativo. Mas permanentemente ligado, interessado em detectar pessoas que lhe pareçam ameaça- doramente próximas da propriedade. Para tanto, na parte externa da casa costuma descansar em local que lhe permita obser- var a rua. Já no interior da moradia, prefere não desgrudar do dono. Equilibrado, nun- ca late à toa e, na presença do tutor, aceita visitas permanecendo apenas em estado de atenção constante. Ele não rosna ou arrepia pelos para uma visita na presença do dono. Se o fizer, prenda-o, pois pode atacar a pes- soa por identificar que não é bem-vinda e/ ou que existe algo de errado com ela.
• Convívio: Ágil e atlético, exige treina- mento regular e passeios diários de pelo menos uma hora. Sua grande capacidade de aprendizado o torna muito útil em várias atividades, sendo um cão de trabalho multi- funcional. É dócil e afetuoso com as pesso- as da casa, comporta-se com sensibilidade com crianças e idosos. Com os animais da casa também é dócil, assim como pode ser com os cães que cruzam o seu caminho nos passeios, se for corretamente socializado.
• Curiosidade: Os pretos e os cinzas estão entre os mais cobiçados da raça pelo fato de alguns exemplares terem olhos azuis. Na Itália, é possível presenciar Cane Corsos atuando em tarefas que vão além da guar- da, como em fazendas, reunindo rebanhos de cavalos e ovelhas ou na caça de javalis. Na França, participam de provas de faro e, em nosso país, atuam como cães de polícia. • Revisão técnica: Robinson Romão, canil Romão D’Itália.


Cavalier King Charles Spaniel
Foto: The Kennel Club/ Cão: AM CH Bentwood Chloe of Forestcreek/ Crufts 2014

Características físicas: Apresentam grandes olhos redondos, marrom-escuros, que dão a expressão meiga, característica da raça. A pelagem é muito macia, de médio comprimento, com franjas longas em orelhas, patas, abdômen e cauda. É um cão pequeno, pesando entre 5,8 kg a 8,1 kg. Quatro cores são aceitas: branco e castanho (oficialmente chamada de Blenheim), tricolor, castanho (Ruby) e preto e canela (Black and Tan).

Comportamento: Cão extremamente dócil e carinhoso, gosta de colo e de contato físico. Aprende com facilidade, gosta de agility, é muito adaptável, tanto em apartamentos pequenos quanto em grandes espaços. O importante para ele é a presença humana. Não é capaz de se adaptar em quintais; é um cão exclusivamente de dentro de casa. Gosta de crianças, idosos e outros animais.

Particularidades: Adora acompanhar o dono. É um ótimo companheiro de viagem.

Cuidados especiais: Manutenção da pelagem, escovação diária (principalmente na época das trocas de pêlos) e banhos semanais ou quinzenais.


Cocker Spaniel Inglês
Foto: Lisa Croft-Elliot/ Cão: ShCh. Veratey Vincenzo at Cassom (Vinnie)/ Propr.: Sarah Amos-Jones

Cheio de vida, facilmente adestrável e com grande ligação com sua família, esse cão se adapta a diferentes estilos de vida
• Função na família: Companhia.
• História: Foi desenvolvido para levantar aves em caçadas e foi reconhecido como uma raça separada do Field e do Springer Spaniel logo após a formação do Kennel Club, em 1873.
Como em diversas raças de cães de caça, existe hoje uma diferença entre aqueles uti- lizados para o trabalho e aqueles para expo- sição: o Cocker de exposição é uma versão mais robusta, mais pesada que o Cocker de trabalho.
• Tamanho: De 39 a 41 cm (machos) e de 38 a 39 cm (fêmeas).
• Peso: De 13 a 14,5 kg.
• Temperamento: Sua natureza é alegre, meiga e afetuosa. Possui forte ligação com os moradores da casa e segue o dono aonde quer que ele vá. Destemido, enfrenta qualquer tipo de terreno, onde adora seguir rastros.
Como gosta de agradar e é um glutão compulsivo (faz qualquer coisa por um petisco), aprende fácil. É cheio de vida e o movimento incessante de sua cauda mostra bem o espírito desse cão.
• Convívio: É um companheiro de primeira, pois se adapta a diferentes estilos de vida. Não importa se gosta de nadar, correr ou apenas assistir televisão, esse Cocker vai querer estar com você.
Faz a maior festa para desconhecidos, não sendo uma raça indicada para a guarda. Exige passeios diários para gastar sua alta energia e manter sua mente saudável. Como seus instintos de caça são fortes, precisa passear sempre de guia e morar em casa cercada para não sair por aí perseguindo aves.
Para manter a pelagem em dia, uma escovação semanal e trimming a cada 2 meses nos pelos da cabeça, das orelhas, em torno dos pés e da cauda são suficientes.
• Curiosidade: A raça está entre as queridinhas dos britânicos, sendo a quinta mais registrada no TKC nos anos de 2018 e 2019.


Collie Pelo Longo
Foto: Cão: Glasgowhill’s My Clarity/ Canil Glasgowhill’s Collies

• Função na família: Companhia, pastoreio e prática de esportes. • História: A raça parece ter evoluído a partir de cães trazidos originalmente para a Escócia pelos romanos que, então, acasa- laram com tipos nativos.

• Tamanho: De 56 a 61 cm (machos) e de 51 a 56 cm (fêmeas). • Temperamento: Um grande companheiro, simpático, alegre e ativo, bom com crianças e outros cães.
• Convívio: Exige escovação semanal ou quinzenal (quando es- tiver mais cheia a pelagem). Não deve ser tosado ou aparado. Exercícios diários incluem corridas em terreno cercado e brin- cadeiras com o dono.
• Curiosidade: Os Collies Pelo Longo e Pelo Curto são os mes- mos, com exceção do comprimento das pelagens.


Chow Chow
Cão: Ch. Melclare Morgan/ Canil Melclare Chow Chows/ Criadora: Claire

• Função na família: Companhia e guarda.
• História: Reconhecidos na China por mais de 2 mil anos, estão relacionados aos cães nórdicos do tipo spitz, contendo também algo do Mastiff. Começaram a sair da China por volta de 1800. • Tamanho: De 48 a 56 cm (machos) e de 46 a 51 cm (fêmeas). • Temperamento: Gosta de calmaria, ideal para pessoas que querem um amigo admirador, fiel, submisso e amável, sem lati- dos nem bagunça. Não é brincalhão nem esportista.
• Convívio: Os de pelo liso (pelo curto) exigem escovações quinzenais e os de pelo áspero (fios mais longos), semanais. Nunca deve ser tosado. Precisa de lugares frescos para ficar em dias quentes.
• Curiosidade: Foram descobertos registros da época da Dinas- tia Han (150 a 200 a.C) de cães da raça sendo usados na caça.


Chihuahua
Foto: @The Kennel Club/ Cão: De L’ise Au Vert Coteau Nikitos (Bob)/ Propr.: Beverley Sutton/ Crufts 2018

Características físicas: Pêlo curto: pelagem lisa e lustrosa; pêlo longo: levemente ondulado (resultado do cruzamento de Chihuahua de pêlo curto com Yorkshire Terriers e Papillons). As cores mais comuns são: o fulvo, do palha ao castanho, o azul do aço ao prateado, muitas vezes, em combinações. Única raça que todas as cores são permitidas.

Comportamento: Apega-se muito às pessoas com quem convive, seguindo-as o tempo todo quando possível. É realmente um fiel companheiro. Sente enorme amor pelo seu dono e fica extremamente feliz ao estar ao seu lado ou no seu colo, protegendo-o de qualquer perigo.

Particularidades: Ideal para apartamentos, ele não tem odor e aprende a fazer xixi e defecar em jornais. Excelente guardião, alertando o dono mediante qualquer barulho ou movimento estranhos. Adora brincar e tomar banhos de sol.

Cuidados especiais: Escovação semanal e banhos.


Dachshund
Foto: Nelson Reis/ Canil Boa Barba/ Hércules Midnight Express Mark Mass

Características físicas: São cães de patas curtas e compridos de corpo. Nas pelagens há a curta – rente ao corpo – e a longa – com franjas nas orelhas. Podem ter várias cores: marrom nas mais diversas tonalidades, mas preferivelmente a vermelha, a preta e os arlequins.

Comportamento: Ótimos companheiros, perseverantes e rápidos. Têm ótimo faro e gostam de um passeio e uma corrida, embora não pareça.

Particularidades: Se não fizerem exercícios ou não houver controle na alimentação, há têm tendência à obesidade. Necessitam de cuidados para não desenvolver a agressividade, pois embora sejam pequenos, têm uma mordida fortíssima, já que são animais com aptidões para caça.

Cuidados especiais: Têm um ponto fraco que é a coluna longa, no seu manuseio diário, devem ser evitados esforços que prejudiquem esta região. Na criação é preciso muito cuidado para que os exemplares tenham uma linha superior o mais reta possível.


Dachshund Miniatura Pelo Longo
Foto: Oscar Plentz/ Canil Boa Barba/ Quin da Barba

Essa variedade é a mais dócil e carinhosa entre os Dachshunds, e tem ganhado popularidade no Brasil
• Função na família: Companhia, caça e alarme.
• História: Esse foi o Dachshund mais criado no Brasil em 2019, segundo relatório da CBKC, ultrapassando a variedade mais tradi- cional, o Dachshund Miniatura Pelo Curto.
A raça tem mais de 600 anos de existência e, em alemão, significa “caçador de texugo”, tendo sido desenvolvido para a caça desse animal, cavando sua toca e expulsando-o de lá, para que o caçador pudesse abater sua presa.
• Tamanho: Circunferência do peito de 30 a 35 cm.
• Temperamento: Esta variedade pode ser mais dócil e carinhosa que as demais. Inteligentes, corajosos e vigilantes, com um latido desproporcional ao seu tamanho, Dachs podem ser ótimos cães de alarme.
• Convívio: Exige mais de uma escovação semanal da pelagem para evitar nós e banhos regulares. Brincadeiras e passeios de 30 minutos por dia são suficientes, pois a raça não foi construída para corridas em longas distâncias ou para nadar. Mas, mesmo que a energia não seja das maiores, caminhadas são importantes para fortalecer seus membros e músculos, a fim de proteger as costas desse “salsicha”. Aliás, evitar que a raça suba e desça de escadas e locais como sofás com frequência também preserva sua saúde ortopédica.
Pode caçar pequenos animais, sendo indicada socialização caso conviva com outros cães e pets. Pode ser desafiador treiná-lo, por sua independência. Mas com reforço positivo, paciência e muito carinho, responde bem ao adestramento.
• Curiosidade: O destaque dessa variedade é o pelo sedoso e brilhante, com subpelo aderente ao corpo. A pelagem é mais longa debaixo do pescoço e na parte inferior do corpo. As orelhas, cauda e membros possuem franjas que dão um charme especial.
• Revisão técnica: Oscar Plentz, do canil Boa Barba. 


Dogue Alemão
Foto: Johnny Duarte/ Cão: Fraun Carioca AR Solar Wonderful/ Propr.: Fabiana Fonseca/ Criador: Canil Solar Wonderful

Grupo da raça mais popular no Brasil, o Arlequim/Preto inclui as variáveis de branco e preto na coloração da pelagem desse cão gigante amoroso e protetor

• Função na família: Companhia, guarda e proteção.
História: Antigamente, o termo dogge (dogue) se referia a um cão grande e for- te, não necessariamente pertencente a uma determinada raça. Existiam diversas deno- minações para designar esses tipos de cães, que diferiam em cor e tamanho (porte). No ano de 1878, em Berlim, um comitê coor- denado pelo Dr. Bodinus tomou a decisão de registrar todas as variedades sob a de- nominação “Deutsche Doggen” (Dogue Alemão). Dessa forma, era lançada a pedra fundamental para a criação de uma raça ca- nina alemã autônoma. Em 1880 foi redigido pela primeira vez um padrão para o Dogue Alemão, o qual desde então está sob os cui- dados do Clube do Dogue Alemão 1888. No Brasil, os mais populares são os Dogues do grupo arlequins/pretos.

• Tamanho: Machos: no mínimo 80 cm, não devem exceder 90 cm; fêmeas: no mí- nimo 72 cm, não devem exceder 84 cm.
Temperamento: Afetuoso e apaixonado por seus donos, sua docilidade, devoção, equilíbrio emocional e dedicação têm a mesma proporção de seu tamanho. A capa- cidade de discernimento, imparcialidade de julgamento e fidelidade são pontos fortes.

• Convívio: É preciso levar na esportiva as manifestações amorosas desse cão que pode derrubar um adulto nas recepções mais efusivas. Precisa de contato humano e da afeição da família. É recomendado que seja bem treinado em comandos de obedi- ência. Pode ser reservado com desconheci- dos, mas com outros cães e pets é amável se socializado desde cedo. Necessita viver em ambiente espaçoso e não é recomendado que seja criado em piso liso ou escorrega- dio, que podem comprometer suas articula- ções. Não solta muito pelo, mas a escovação é importante para estímulo muscular e vín- culo com o tutor. Banhos são quinzenais.

• Curiosidade: O Arlequim/preto são as variáveis de branco e preto, que incluem: Arlequim (branco com preto rasgado); Pre- to (sólido com ou sem manchas brancas no peito e pata); Mantado (manto preto em cima do fundo branco, onde ficam patas, pescoço e meia cauda nesta cor); e Plaquea- do (cão majoritariamente branco, com pou- cas placas pretas na cabeça e dorso).

• Revisão técnica: Fabiana Fonseca, do ca- nil Solar Wonderful.


Dogo Argentino
Foto: Canil Pure Dogo/ Cão: Pure Sparta/ Propr.: Renata Brett Dennis/ puredogo.com

• Função na família: Companhia, esportes, guarda e caça.
• História: Surgiu a partir do “Velho Cão de Briga de Córdoba” (mestiçagem que se fazia entre Bulldog e Bull Terrier), em 1947. • Tamanho: De 60 a 68 cm (machos) e de 60 a 65 cm (fêmeas). • Peso: De 40 a 45 kg (machos) e de 40 a 43 kg (fêmeas).
• Temperamento: Deve ser silencioso, de bom olfato, fareja- dor, ágil, forte, rústico e acima de tudo valente. Jamais deve ser agressivo com os seres humanos.
• Convívio: Precisa de dono que lhe imponha limites, escova- ção semanal e banhos quando necessário. É um protetor impla- cável, que age por instinto, sem precisar de treinamento.
• Curiosidade: O Dogo deve ser inteiro branco, sendo permiti- do apenas uma mancha preta ou escura em uma das orelhas ou ao redor de um dos olhos.


Griffon de Bruxelas
Arquivo canil Cayafa’s/ www.cayafas.se

Características físicas: Cão de pequeno porte, de pêlo duro, tem uma expressão única quase humana, muito elegante e de movimentos dóceis. Indicado para crianças e adultos. Apresenta-se nas cores: o de Bruxelas unicamente na cor vermelha. Existem variações da raça como o Griffon Belga, que é de cor preta e preta com castanho; e o Brabancon, que tem pêlo curto na cor vermelha. O favorito continua sendo o Griffon de Bruxelas.

Comportamento: Supertranqüilo, raramente late, extremamente dócil e amoroso chega a ser delicado ao brincar, gosta de carinho e é muito afetuoso; vive bem em pequenos espaços.

Cuidados especiais: Banhos quinzenais.


Husky Siberiano
Foto: bamahuskies.com

• Função na família: Companhia.
• História: Muito antiga – mais de 4 mil anos –, a raça era usada pela tribo nômade Chukchi para puxar trenó na Sibéria.
• Tamanho: De 50,5 cm a 60 cm.
• Peso: De 15,5 a 28 kg.
• Temperamento: É amigável e gentil, mas também atento e ex- pansivo. Muito inteligente, abre portas, cava buracos, uiva todos os dias e não gosta de solidão. Está sempre disposto ao trabalho. • Convívio: É extremamente leal e dócil, mas também indepen- dente, e isso é facilmente confundido com teimosia. Não é des- confiado com estranhos ou agressivo com outros cães.
• Curiosidade: Sua morfologia, desenvolvida para puxar trenós com cargas leves por longas distâncias, faz dele um cão propício a atividades ao ar livre.


Lhasa Apso
Foto: The Kennel Club/ Cão: CH Zentarr Elizabeth/ Propr.: Mrs M Anderson/ Crufts 2012

Características físicas: Bem balanceado, robusto com pelagem abundante. Pelagem externa longa, reta, pesada, áspera. Nem lanosa, nem sedosa. Subpêlo moderado. Altura ideal na cernelha de 25, 4 cm para os machos; fêmeas ligeiramente menores. Todas as cores são igualmente aceitas.

Comportamento: Por ser originalmente um cão sentinela, que vivia nos mosteiros do Tibete, ele é cauteloso com estranhos. Por isso dizem que se trata de um cão reservado. Além disso ele é tranqüilo e jamais impertinente; estável e alegre.

Particularidades: O Lhasa é um cão independente e se adapta muito bem a apartamentos e a ficar sozinho por períodos.

Cuidados especiais: Para a manutenção da pelagem, escovações diárias, banhos semanais, hidratações quinzenais e alimentação bem balanceada.


Labrador Retriever
Foto: The Kennel Club/ Cão: Tissalian Hi Jack Jw

• Função na família: Companhia.
• História: Acredita-se que a raça surgiu na costa de Terra Nova, onde pescadores foram vistos usando cão de aparência semelhante para recuperar peixes.
• Tamanho: De 54 a 57 cm.
• Temperamento: É um cão simpático, vivo, companheiro para toda a família, especialmente crianças. Tem muita vontade de agradar, faro excelente e se adapta em qualquer ambiente.
• Convívio: É amigável até com estranhos e outros pets, mesmo que exija cuidado especial com aves para não as caçar. Adora água, longas caminhadas e atividades que gastem sua energia. • Curiosidade: Pode ser um bom cão de alarme, avisando que visitas chegaram com alguns latidos. Sua cauda se assemelha à de uma lontra, fazendo dele um ótimo nadador.


Maltês
Foto: They’re The Best Just Be Thrill/ Cão: Jordin/ Criador: Maxwell Santana Marques/ Canil They’re The Best

Características físicas: Só na cor branca. De pigmentação preta nos olhos, pálpebras, almofadas e nariz. Orelhas caídas, pelagem sedosa e longa. Cão de pequeno porte, até 4 kg.

Comportamento: Brincalhão, atencioso, vivaz, sempre apegado aos donos. Aceita perfeitamente a companhia das crianças e idosos. Um pequeno espaço é o suficiente para que ele gaste sua energia.

Particularidades: afetuoso, desconfiado, inteligência moderada.

Cuidados especiais: Banho uma vez por semana e escovação diária.


Pastor Shetland
Cão: Can/Ch Highledge Reminisce/ Canil Highledge/ Propr. e criador: Bonnie Rector

Características físicas: cão de trabalho de pêlos longos (machos com 37 cm de cernelha; fêmeas com 35,5 cm, com uma tolerância de 2,5 cm, pelagem dupla). É tão harmonioso que nenhuma parte de seu corpo é desproporcional ao todo. A pelagem da juba e do antepeito é farta e a cabeça bem esculpida.

Particularidades: Cão companheiro, convive bem quando o dono está presente e, quando não está, fica sozinho sem maiores problemas.

Cuidados especiais: Manutenção da pelagem – escovação diária e banhos semanais.


Pastor Branco Suíço
Foto: Cão: BIS BISS GCH WWW14 Waroggi Maitreya BH, Ipo-1

• Função na família: Companhia, trabalho, esportes e guarda. • História: É descendente direto do Pastor Alemão. Os primei- ros cães foram importados para a Suíça no início dos anos 1970. • Tamanho: De 58 a 66 cm (machos) e de 53 a 61 cm (fêmeas). • Peso: De 30 a 40 kg (machos) e de 25 a 35 kg (fêmeas).
• Temperamento: Alegre e equilibrado, diverte-se em ação. Amigável e discreto, possui alta capacidade social e é devotado ao seu dono. Nunca medroso ou agressivo sem ser provocado.
• Convívio: Fácil de treinar, com capacidade para todo tipo de treinamento. Deve passear 30 minutos por dia e ser escovado a cada dois dias.
• Curiosidade: Apesar de serem raças distintas, a raça herdou de seu primo, o Pastor Alemão, a versatilidade de trabalho, sen- do hábil em várias funções.


Pastor Maremano Abruzês
Foto: Canil Allevamento del Montelarco/www.pastoremaremmano.net

• Função na família: Companhia, guarda e defesa do rebanho e das propriedades.
• História: Foi desenvolvido para a proteção de rebanhos, fun- ção que ainda desempenha nos Abruzzes, na criação de ovelhas. • Tamanho: De 65 a 73 cm (machos) e de 60 a 68 cm (fêmeas). • Peso: De 35 a 45 kg (machos) e de 30 a 40 kg (fêmeas).
• Temperamento: Exerce suas funções com perspicácia, cora- gem e decisão. O seu caráter, ainda que orgulhoso, sabe expri- mir uma ligação devotada ao dono e a tudo que o cerca.
• Convívio: Escovação mais intensa durante as trocas de pela- gem é recomendada. Nunca deve ser preso. Precisa de três pas- seios curtos por dia e espaço para correr.
• Curiosidade: No inverno, possui rico subpelo protetor, que cai quando as temperaturas sobem. A pelagem deve ser branca.


Pequeno Spaniel Continental – Papillon
Foto: The Kennel Club/ Cão: Multi CH Expana’s Sea Dragon Conqueror

• Função na família: Companhia e esportes.
• História: Surgiu no século XVI, criado como cão de colo para mulheres da nobreza. A raça já foi registrada em diversas pintu- ras de princesas e rainhas por artistas como Goya e Rembrandt. • Tamanho: Em torno de 28 cm.
• Peso: Duas categorias: menos que 2,5 kg (peso mínimo de 1,5 kg) ou de 2,5 kg a 4,5 kg (machos) e de 2,5 kg a 5 kg (fêmeas). • Temperamento: É vivo, alerta e gracioso, porém robusto. So- ciável, aceita bem pessoas estranhas, outros cães e pets.
• Convívio: Mesmo sendo um cão independente, é fácil de ser treinado, pois é muito inteligente. Atlético, se destaca em espor- tes como o agility. Exige escovação a cada três dias.
• Curiosidade: Existe uma variedade da raça que possui orelhas caídas, chamada Phalène.


Pequeno Lebrel Italiano
Foto: Johnny Duarte/ Cão: Fantasy Tieris di Zirí-Zirí/ Canil Zirí-Zirí

Esse galguinho pode ser a sua próxima sombra, caso esteja procurando por um parceiro dócil e dedicado à sua família
• Função na família: Companhia.
• História: Também chamada de Italian Greyhound ou ainda Galguinho Italiano, a raça descende dos pequenos sighthounds (lebréis) que já existiram no antigo Egito na corte dos faraós. Embora as primeiras referências sobre a raça sejam do Egito, a Itália é considerada sua terra natal, pois foi lá que eles se tornaram populares pela pri- meira vez. A raça chegou à Itália no início do século V a.C., mas seu maior desenvol- vimento ocorreu durante a era do Renasci- mento na corte dos nobres. Não é raro achar o Pequeno Lebrel Italiano representado em pinturas dos maiores mestres italianos e estrangeiros. Tanta fama entre os artistas pode ser atribuída ao fato de ser um cão que chama a atenção por sua aparência exótica e seu caminhar elegante e sofisticado.
• Tamanho: De 32 a 38 cm.
• Peso: Aproximadamente 5 kg.
• Temperamento: Vivaz, afetuoso e dócil, gosta de estar em companhia humana. É uma segunda sombra do dono, pois gosta que seu dono esteja sempre em seu campo de visão e adora contato físico. É muito so- ciável com outros animais, como gatos. Já com pessoas desconhecidas é reservado.
• Convívio: Exige cuidados específicos como a prevenção a fraturas, pois como seus ossos são mais finos e longos que os das demais raças, estão mais suscetíveis a esse tipo de acidente. Assim, é necessário preparar a casa para que os pulos e brin- cadeiras dos galgos sejam feitos de forma segura, colocando tapetes para evitar es- corregões, quando o animal estiver em alta velocidade, e evitando estimular corridas em locais que não forem cercados. O ideal é que ele faça corridas em curtas distâncias e ao lado do dono. Também são ótimos salta- dores e escaladores, então e preciso cuidado com janelas de sobrados ou cercas que pos- sam machucar o cão em alguma tentativa de escalada. Não são cães de quintal e, nos dias mais frios, roupas podem ser necessá- rias, além de camas onde eles possam se aquecer.
• Curiosidade: Seu corpo atlético, fino e leve, é projetado para alcançar incríveis 40 km/h – mesma velocidade atingida pelo homem mais rápido do mundo, o jamaicano Usain Bolt, na prova dos 100 m rasos.

• Revisão técnica: Tania Improta, do canil Zirí-Zirí. 


Foto: Santo Chico Fotografia Pet/ Cão: Bruno do Apolions/ Propr.: Christian Miguel Guillarducci

Características físicas: Cão pequeno, compacto, com grande dignidade, pelagem exuberante e aspecto leonino. Todas as cores são admitidas, exceto fígado e albino.

Comportamento: Vivaz, leal, alegre, vive bem em pequenos espaços. Não tolera muitos exercícios físicos e passeios longos.

Particularidades: Expressão alerta e inteligente, amoroso, dócil, cabeça maciça de conformação quadrada, com a trufa posicionada praticamente na linha dos olhos.

Cuidados especiais: Escovação semanal, banhos não tão freqüentes, atenção especial à ruga (em forma de “V” invertido em cima da trufa) e aos olhos. Não suporta calor excessivo.


Pinscher
Foto: Kabul’s Alenberg Gilda/ Marcelo Henrique Costa e Silva/ Bruno Sant’ana

Características físicas: Sua construção elegante e quadrada é nitidamente visível. Cores: avermelhado (cor de corça), avermelhado – marrom até vermelho escuro e Black And Tan (preto e canela).

Comportamento: Vivo, temperamental, seguro e equilibrado. Tudo isso faz dele um agradável cão de família.

Particularidades: O Pinscher Miniatura é um trotador. A movimentação é harmoniosa, segura poderosa e desinibida. Altura na cernelha – machos e fêmeas 25 a 30 cm. Peso: 4 a 6 kg.

Cuidados especiais: Banhos semanais.


Poodle
Foto: Lennah/ Cão: Louter Creek Candie in The Wind “Diana”

Características físicas: Pelagem longa, crespa e densa. Possui 4 variedades de tamanho: Toy (abaixo de 28 cm de altura), Anão (de 28 cm até 35 cm de altura), Médio (de 35 cm até 45 cm), Grande (de 45 cm até 60 cm). Podem ser de 5 cores: branco, preto, cinza, marrom e abricot.

Comportamento: Companheiros, carinhosos e charmosos. Se dão bem com outros animais, crianças e idosos. Muito inteligentes, alertas, fieis e elegantse. São bons cães de guarda.

Particularidades: São considerados cães hipoalergênicos, pois não perdem pêlos e podem ser tosados das mais variadas formas possíveis.

Cuidados especiais: Manutenção da pelagem, banhos semanais e tosas mensais para manter a pelagem sempre limpa e saudável. Deve-se ter cuidado com doenças genéticas comuns à raça, como luxação patelar e displasia coxofemoral.


Pointer Inglês
Foto: Arquivo Hackberry

• Função na família: Companhia, esportes e alarme.
• História: Pointer significa apontador, função principal da raça na caça de animais com penas. Essa posição, de aponte, é a mais clássica da caça esportiva. Surgiu em 1650, e em 1700 já exercia papel de destaque na Inglaterra, como cão de caça.
• Tamanho: De 63 a 69 cm (machos) e de 61 a 66 cm (fêmeas). • Temperamento: Alerta com aparência de força, resistência e rapidez, é um cão agradável, paciente, dócil e equilibrado.
• Convívio: Elegante, de ótimo astral e de fácil manutenção, é versátil e precisa ser um atleta. É mais indicado que conviva com gato ou outro cão do que com pato ou galinha.
• Curiosidade: Por ter sido usado no Brasil principalmente para a caça a perdizes, o Pointer Inglês é também conhecido em nos- so país como Perdigueiro.


Pug
Foto: Arquivo Crufts/ Cão: Ch Rhodenash Kotten Klyde Jw

Características físicas: Decididamente quadrado e massudo, como mostra sua forma. Cores: abricot, silver e preto.

Comportamento: Charmoso, inteligente, equilibrado e muito companheiro. Ama crianças e idosos.

Particularidades: Cabeça larga e redonda, rugas claramente definidas e muito bem marcadas em preto, fazendo um diamante na testa, focinho e orelhas (Pugs na cor abricot). Cauda: em espiral (enrolada tão firmemente quanto possível sobre a anca). Peso: 6,3 kg a 8,1 kg.

Cuidados especiais: Banhos semanais e higiene nas rugas.


Rhodesian Ridgeback
Foto: The Kennel Club/ Cão: BOB Ch Jockular Lord Leonti At Tsjakka (Imp Ned) JW/ Kennel Roseridge (www.roseridge.se)

• Função na família: Companhia, guarda e caça.
• História: Caçando principalmente em grupos de dois ou três, a função original da raça era localizar a caça, especialmente o leão, e guardá-lo a distância até a chegada do caçador.
• Tamanho: De 63 e 69 cm (machos) e 61 a 66 cm (fêmeas).
• Peso: 36,5 kg (machos) e 32 kg (fêmeas).
• Temperamento: Muito forte, ágil, musculoso, reservado com os estranhos e com forte instinto de defesa, se destaca na guar- da. É dócil e carinhoso com a família.
• Convívio: Interage muito bem com todos, inclusive com crianças, desde que seu limite de paciência seja respeitado. Tem bom convívio com outros animais, quando criados juntos desde cedo. • Curiosidade: Possui crista no dorso (ridgeback), formada por pelos que crescem em direção oposta ao restante da pelagem.


Schnauzer Miniatura
Foto: Oscar Plentz/ Cão: Pepe da Boa Barba/ Canil Boa Barba.

Características físicas: É um cão tem aparência forte, compacta e elegante, com sua barba e sobrancelhas ressaltadas pelo corte da pelagem do crânio, orelhas e do corpo. Tem pêlo duro e que não deve ser ondulado. Pode ter quatro cores: sal e pimenta (cor de impressão cinza, pois nos fios tem a mescla do branco e do preto); os pretos; os pretos e prata e os brancos

Comportamento: Dominadores do espaço físico e muito inteligentes; têm aptidão para o aprendizado. Também podem ficar quietos, mas acompanham bem passeios e brincadeiras, bem como atividades de agility e brincadeiras na água. Podem viver em apartamento e gostam das crianças.

Particularidades: Não mudam de pelagem, têm pouco odor e não babam, sendo extremamente limpos.

Cuidados especiais: Precisam que a tosa seja feita em torno de 4 vezes ao ano. Para manter o pêlo duro, eles necessitam do “stripping”, que ajuda nas melhores condições da pele, pois é onde têm certa sensibilidade.


Samoieda
Cão: Lucky/ Samoyède Québec (samoyedequebec.e-monsite.com)

• Função na família: Companhia.
• História: Seu nome deriva das tribos Samoyed (Samoieda), que os usavam para pastorear, puxar trenós, aquecer e proteger as crianças. A aparência doce e alegre da raça é ressaltada por um sorriso natural que só um Samoieda tem.
• Tamanho: De 50 a 60 cm.
• Temperamento: Brincalhão e amigável, está sempre buscan- do contato com as pessoas. É dócil até com estranhos.
• Convívio: Inteligente, com disposição para agradar ao dono, rápida, resistente, forte e do tipo que se diverte trabalhando, a raça exige passeios diários e interação com a família.
• Curiosidade: Na Rússia, participa com sucesso de corridas de tração, podendo puxar um competidor em um esqui, ou ainda trenós e triciclos para adultos.


Scottish Terrier
Foto: The Kennel Club/ Cão: CH Mcvans Big Bopper at Beameups/ Propr.: MS R, MS V & MS D Cross, Huber & Cross

Características físicas: Cão atarracado e de pernas curtas, de pelagem dura e orelhas eretas. Apresenta-se nas cores: preta, brindle (tigrado) e trigo.

Comportamento: Extremamente alegre, não tem tempo feio para esta raça, de um bom humor incrível com seus donos. Está sempre disposto e alegre, gosta de chamar a atenção de crianças e idosos; vive bem em pequenos espaços.

Particularidades: Cão bem rústico, amoroso, dócil, alegre, cheio de vida, sempre animado e carinhoso.

Cuidados especiais: Banhos semanais e manutenção do corte da raça.


Shar Pei
Foto: Johnny Duarte/ Cão: Tianzi Lovely Doll/ Criação e propr.: Canil Tianzi

Sua aparência exótica aliada ao temperamento calmo e gentil faz desse cão ideal para quem tem criança e gosta de cão mais independente
• Função na família: Companhia, guarda e proteção da família.
• História: Essa raça chinesa existia há cente- nas de anos nas províncias que rodeiam o mar da China Meridional. A cidade de Dialak, na província de Kwun Tong, é provavelmente seu lugar de origem. Por muitos anos, foi usa- da por fazendeiros chineses para diferentes funções, como guarda, proteção, caça, pasto- reio e até para brigas entre cães. Chegou ao Ocidente apenas na década de 1970 enviada pelos irmãos Lao, na tentativa de salvar a raça que estava sendo exterminada na China. Nos Estados Unidos misturaram com outras raças de Molosso, o que resultou no “padrão ameri- cano” que é o que existe hoje. A raça logo se destacou e ganhou popularidade com sua apa- rência enrugadinha, focinho de hipopótamo, olhar marcante e língua preta-azulada.

• Tamanho: De 44 a 51 cm.
• Temperamento: Calmo, independente, leal, valente e afetuoso à família. É capaz de dar a vida pelos donos e gosta de estar sempre com eles. Silencioso, só late quando há ameaça em seu território ou com um membro de sua família. Como possui instinto natural para defesa do dono e da casa, estranhos desacom- panhados do tutor não entram na casa ilesos, pois o Shar Pei pode atacar.
• Convívio: Tem alto grau de companheiris- mo e não suporta muitas horas de solidão. Tanto faz se está em uma fazenda ou deitado em um quarto, ele estará sempre feliz ao lado do dono! Como não late e não suja, é ótimo para apartamento. Gosta de carinho, brinca- deiras, mas não é de dar grandes demonstra- ções de afeto. Não gosta de muitos apertos. Muito inteligente, a raça aprende rápido. Po- rém, por ser teimosa, muitas vezes pode fazer apenas aquilo que achar necessário ou corre- to. É muito dócil e paciente com as crianças, e convive bem com outros cães.
Gosta de passeios curtos, 15 minutos de ca- minhada de manhã e à noite já são suficientes. Para manter a higiene, lave o rosto e o corpo com xampu neutro e, ao dar o banho mensal, seque bem o animal com toalhas, exposição ao sol e secador, para que não desenvolva der- matite nas dobrinhas.
• Curiosidade: Existe uma lenda chinesa que diz que o Shar Pei é a última encarna- ção como animal, a próxima encarnação já é como um ser humano.
• Revisão técnica: Vera Helena C. Tanze Arenzon, do canil Tianzi. 


Shiba
Foto: Johnny Duarte/ Cão: Hayato Maru/ Canil Koji

Típico cão oriental, o Shiba conquista com sua aparência de raposa, afeição, tranquilidade e independência
 • Função na família: Companhia.

• História: Desenvolvido para caçar peque- nos animais e aves nas montanhas, em áre- as de vegetação rasteira, no final do século XIX as mestiçagens com Setters e Pointers Ingleses fizeram com que o Shiba perdesse sua identidade. No início do século XX os exemplares puros se tornaram raros, mas a recuperação da raça foi realizada a partir de 1928, com a preservação criteriosa de um número limitado de linhagens desses cães. Em 1934 o padrão da raça foi unificado.
• Tamanho: 39,5 cm (machos) e 36,5 cm (fêmeas), com tolerância de 1,5 cm para mais ou para menos.
• Temperamento: É um companheiro in- dependente, leal e afeiçoado com seu dono, com o qual desenvolve um relacionamento muito próximo sem ser “grudento”. Mui- tas vezes, estar no mesmo ambiente já é o suficiente. Reservado com estranhos, serve como cão de alarme. Mesmo sendo silencioso na maior parte do tempo, avisa quando algo está errado em seu território. De tão inteligente, é capazes de tomar suas próprias decisões.
• Convívio: Musculoso e ágil, o Shiba tem facilidade para escalar. Adora subir em lo- cais altos, como o telhado de sua casinha, para observar o movimento. Passeios diários de 20 minutos costumam ser suficientes. Por ser um cão primitivo, é recomendado que até o sexto mês de vida entre em contato com o maior número de pessoas e cães para ser socializado. Assim, ele aprende que o mundo fora da casa dele é um am- biente amigável e confiável. Contudo, não é aconselhado ter aves ou roedores como pet convivendo com um Shiba, pois ele gosta de caçar. Também por isso que ele não deve passear sem guia.
Para manter a pelagem, basta escovar o cão com pente de aço e escova dura semanalmente e dar banhos quando necessário (a cada 2 ou 3 meses). Banhos em excesso retiram a oleosidade natural do pelo, propiciando o desenvolvimento de fungos e dermatites. A raça não pode ser tosada.
• Curiosidade: Dos cães nativos japoneses, ele é o de menor porte e o mais popular em sua terra natal. A palavra Shiba, originalmente, se referia a alguma coisa pequena, um cão pequeno.
• Revisão técnica: Lucíola Santucci, do canil Koji. 


Shih Tzu
Foto: Rufino/ Cão: Scarllet/ Canil: Lions Ville

Características físicas: Cão de pequeno porte. Peso: de 4,5 a 7,5 kg. Pelagem longa, densa, com subpêlo, reta e muito pouco ondulada. Todas as cores são permitidas.

Comportamento: Dócil, amoroso, alegre, ousado, disposto e ingênuo. Vive bem em pequenos espaços. Se dá bem com crianças e idosos.

Particularidades: Cão de companhia. Charmoso, originário da China Ocidental. O Shih Tzu erai um cão de companhia em casas nobres.

Cuidados especiais: Escovação semanal e banhos.


Spitz Alemão Anão
Cão: Peanut/ Propr.: Canil Snow Touch

Características físicas: Cão de pequeno porte, que deve medir entre 18 e 22 cm de altura, pelagem abundante, orelhas pequenas e eretas e cauda posta sobre o dorso.

Comportamento: Extremamente dócil e independente, amigo apaixonado e sempre disposto a brincadeiras.

Particularidades: Muito limpos e higiênicos, se adaptam muito bem a outras raças.

Cuidados especiais: Apesar de exuberante, sua pelagem não requer uma manutenção muito trabalhosa: escovações semanais com escova de pinos e banhos a cada 2 ou 3 semanas são suficientes para manter a pelagem sempre saudável.


Staffordshire Bull Terrier
Foto e propr.: Sandra Pastore/ Cão: Lilith / Criadora: Brigitte Vardon Canil La Vauxoise

• Função na família: Companhia, caça e esportes.
• História: Tem como ancestral o antigo Bulldog, que foi cruza- do com o Black and Tan Terrier. Como resultado conseguiu-se um cão capaz de perseguir sua caça acima e abaixo do solo.
• Tamanho/Peso: Entre 35,5 e 40,5 cm, com machos pesando entre 12,7 kg e 17 kg, e fêmeas pesando entre 11 kg a 15,4 kg.
• Temperamento: De coragem indomável e tenacidade, é al- tamente inteligente e afetuoso. Totalmente digno de confiança. • Convívio: Quando filhote costuma ser mastigador, precisando de brinquedos específicos. Atividades devem ser diárias e nos horários mais frescos do dia. Aceita bem pessoas estranhas, mas precisa ser socializado para conviver com outros pets.
• Curiosidade: A raça é chamada de cão babá por sua conheci- da docilidade com crianças.


Terrier Brasileiro
Cão: Darah/ Criação e propr.: Carlos Flaquer/ Canil Chaputepek TBS

Características físicas: Cão de porte pequeno, mede até 40 cm de cernelha, com três pelagens principais : tricolor de preto, tricolor de fígado e tricolor de azul. Pêlo curto, liso, rabo cortado ou anuro.

Comportamento: Temperamento ativo, brincalhão, esperto, atento e muito valente (não tem noção de seu tamanho); escolhe um dono e o segue e obedece a qualquer preço; excelente guardião, ótimo caçador, adora todos da casa, porém é arredio com estranhos; fiel companheiro, não tem cheiro ruim e aprende fácil o local de fazer suas necessidades. É ótima companhia para idosos e crianças, pois é muito paciente. Vive muito bem em ambientes pequenos.

Cuidados especiais: Escovação semanal e banhos.


Volpino Italiano

Características físicas: Pequeno, pelagem densa, orelhas eretas. Apresenta-se na cor branca.

Comportamento: Cão extremamente alegre. Sempre com humor incrível com seus donos, está sempre disposto e alegre, gosta de chamar a atenção. Bom para crianças e idosos, vive bem em pequenos espaços.

Particularidades: Cão de companhia muito charmoso. Era idolatrado nos palácios dos nobres na época do Império Romano. Amoroso, dócil, alegre, cheio de vida, sempre animado e carinhoso.

Cuidados especiais: Banhos 2 vezes por mês.


West Highland White Terrier
Cão: Champion Burneze Geordie Girl/ Prop.: Marie Burns (www.burneze-whwt.co.uk)

Características físicas: De pelagem comprida, orelhas eretas e pequenas, cauda também pequena. Apresenta-se na cor branca.

Comportamento: Muito alegre, não tem tempo ruim para esta raça, de um bom humor incrível com seus donos, está sempre disposto e alegre, gosta de chamar a atenção. Bom para crianças e idosos, vive bem em pequenos espaços.

Particularidades: Bem rústico, amoroso, dócil, alegre, cheio de vida, inteligente, cativante, sempre animado e carinhoso.

Cuidados especiais: Banhos mensais e manutenção do corte da raça.


Welsh Corgi Pembroke
Foto: Patty Oliveira/ Cão: BIS BrCh AmCh Riverside Orange Delight (DESI) Propr. e criação: Raglan Castle Corgis/Andreia Paveck Migliore

Características físicas: De pelagem comprida, orelhas eretas e pequenas, cauda também pequena. Apresenta-se na cor branca.

Comportamento: Muito alegre, não tem tempo ruim para esta raça, de um bom humor incrível com seus donos, está sempre disposto e alegre, gosta de chamar a atenção. Bom para crianças e idosos, vive bem em pequenos espaços.

Particularidades: Bem rústico, amoroso, dócil, alegre, cheio de vida, inteligente, cativante, sempre animado e carinhoso.

Cuidados especiais: Banhos mensais e manutenção do corte da raça.


Whippet
Foto: Bibbo Camargo/ Cão: Ben Canaã Melanie Brown/ Criação: Ben Canaã Kennel/ Proprs: Mateus e Miguel Gondim e José Schweidson Filho

Esse cão de corrida calmo e afetuoso se destaca pela delicadeza na qual demonstra todo o seu amor ao dono

• Função na família: Caça, esportes e companhia.
• História: Teorias baseadas em pinturas antigas apontam que o Whippet é um cão que existe desde os tempos mais remotos. Provavelmente ele descende do Greyhound, representante de porte grande do grupo dos galgos. Outras teorias sustentam que a raça surgiu apenas no final do século XIX. Teo- rias à parte, a popularidade do Whippet em corridas que aconteciam em áreas de mi- neração no norte da Inglaterra é inegável. Esse esporte ficou conhecido como corrida do pano, pois corriam ao encontro de seus donos, que ficavam do outro lado da pista abanando um pano para chamar atenção.

• Tamanho: De 44 a 51 cm (FCI). De 46 a 55 cm (AKC) – para machos e fêmeas.
• Temperamento: Um companheiro ideal. Altamente adaptável a ambientes domésti- cos ou esportivos. Gentil e afetuoso, com disposição equilibrada. Mesmo que seja ótimo corredor, em casa é um companhei- ro calmo e afetuoso, demonstrando todo o seu carinho pelo dono de maneira delicada e apaixonante.

• Convívio: Pode ser necessário uso de rou- pas em dias mais frios. Aliás, o Whippet ama passar aconchegantes horas no sofá ao lado de seu dono. Quando solto, para cor- rer, deve estar em terreno seguro e cercado, para evitar fugas. Muito rápido, o dono não consegue alcançar o cão. Embora possa ser reservado com estranhos e latir em algu- mas ocasiões, não é um cão de alarme ou de guarda. É facilmente educado, mas por ser emocionalmente sensível, não responde bem a treinos ríspidos. Adestramento sem castigo e com reforço positivo são recomen- dados. Para os cães que vivem em quintais pequenos ou apartamentos, duas caminha- das diárias de 20 a 40 minutos são recomen- dadas. Já banhos podem ser mensais e a es- covação, de uma a duas vezes por semana. • Curiosidade: Como um bom galgo, o corpo do Whippet é totalmente projetado para atingir altas velocidades. Possui pei- to profundo, pescoço longo, corpo esguio e arqueado sustentado por membros fortes e preparados para uma grande impulsão na hora da corrida. Além disso, esse cão é uma combinação de poder muscular e força com elegância e linhas graciosas.

• Revisão técnica: José Schweidson Filho, do canil Ben Canaã Whippet. 


Yorkshire Terrier
Foto: @The Kennel Club/ Cão: CH Royal Precious JP’S F4 Juliana/ Propr.: Obana

Características físicas: Pêlo longo, brilhante e sedoso, é um cão pequeno, pesando até 3.150 kg. Cores: azul aço escuro (nunca azul prateado) e canela.

Comportamento: Alegre, cheio de vida, superinteligente, cão nobre, de colo, indicado para crianças e idosos. Vive super bem em espaços pequenos.

Particularidades: Cão muito companheiro, convive bem quando o dono está presente e, quando não está, fica sozinho sem maiores problemas. Gosta de colo e da companhia dos donos.

Cuidados especiais: escovação diária e banhos semanais


[maxbutton name=”botao-assine”] [maxbutton name=”botao-exemplar-avulso”]