Inseminação artificial: reprodução assistida segura e eficaz

Médico-veterinário Abrahão Vanelli durante procedimento de reprodução por inseminação artificial – Foto: Arquivo pessoal

Técnica permite melhoramento genético, cruzamento de animais geograficamente distantes e também evita doenças

A inseminação artificial em cães já é utilizada há décadas e é bem popular nos Estados Unidos e na Europa, quando comparada ao uso no Brasil, embora o procedimento tenha crescido no país. Ao oferecer uma reprodução assistida segura e eficaz, ela pode ser uma boa alternativa para criadores preocupados em gerar filhotes mais saudáveis e com a genética desejável.

Como é realizada?

A primeira inseminação artificial cientificamente documentada foi em cães, no século XVIII, na Itália, com uso de sêmen fresco, recém-coletado. A partir da década de 1980, o procedimento se popularizou ao redor do mundo. A técnica consiste em inserir o sêmen do cachorro macho no interior do sistema reprodutor da fêmea, ou na sua vagina ou no útero, como explica o Prof. Marcelo Rezende Luz, de Belo Horizonte, professor da Escola de Veterinária da UFMG, presidente do Colégio Brasileiro de Reprodução Animal (CBRA) e coautor do livro Reprodução de Cães.

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar


Clique aqui e adquirá já a edição 490 da Cães & Cia!