Treinador de cães de faro de drogas

Categoria: Educação/ Consultório

Autor(a): Gustavo Agostini | Colaborador(es): Karla Bianca da Silva Pereira | 19/11/2014 - 15:57

Gostaria de saber como funciona o trabalho dos cães farejadores de drogas. Eles têm algum vício na substância?

Treinador de cães de faro de drogas

Treinador de cães de faro de drogas

Karla, o sentido mais apurado nos cães é o faro.  Quando o filhote nasce, os olhos e ouvidos permanecem fechados, mas o nariz já está completamente funcional. Assim, perceber os odores ajuda o cãozinho a descobrir o mundo. Algumas raças de faro mais aguçado podem ser treinadas para diferenciar cheiros e seguir rastros mesmo em meio a centenas de outros aromas. Durante o treinamento, para familiarizar os cães com o cheiro de várias drogas, uma bolinha ou outro brinquedo é impregnado com os odores de uma mistura de diferentes substâncias. Para tanto, o brinquedo é deixado numa caixa recheada com vários entorpecentes, mas sem contato direto. Outra técnica é imergir o  brinquedo numa mistura de substâncias e lavá-lo antes de ser usado pelo cão (mesmo assim, os odores continuam perceptíveis).  Em ambos os casos, como não há contato do animal com os narcóticos, não existe risco de que fique viciado.
Inicialmente, o cão é estimulado a brincar com a bolinha, depois é treinado a procurá-la. A etapa seguinte é localizar narcóticos escondidos em outros lugares e sinalizar onde estão, com latidos ou apontando com o focinho para a fonte do odor ou mesmo raspando o local.
Em resumo, o cão farejador de drogas está sempre buscando um dos odores do seu brinquedo preferido.