Como lidar com a agressividade canina (parte 1)

Categoria: Educação/ Consultório

Autor(a): André Barreto | Colaborador(es): Jornalismo Editora Top.Co | Cidade: Campinas - SP | 27/01/2015 - 08:40

Entenda os sinais de agressividade e saiba como lidar com isso

Imagrm meramente ilustrativa Foto: Divulgação

Imagrm meramente ilustrativa Foto: Divulgação

Quais motivações levam um cão a morder o dono? A resposta mais comum é: “O cão morde porque é dominante”. A partir desse diagnóstico equivocado, donos são instruídos a assumir a liderança da matilha”, como se fizessem parte dela. Para tanto, rituais de dominância são praticados com base em estudos feitos com lobos. Essas técnicas, consideradas ultrapassadas por vários especialistas, já tornaram agressivos, medrosos e inseguros muitos cães dóceis. Nem tudo o que se vê na TV, portanto, é a melhor escolha para você e seu cão. Em vez de culpar o cão pelo comportamento agressivo ou o dono por não ser suficientemente firme, nesta nova série abordaremos as principais situações e outros animais, de modo que esse mau comportamento possa ser melhorado com técnicas modernas, baseadas em recompensas.

 

Como controlar a agressividade

A agressividade é um comportamento natural dos cães, geralmente exibido quando se sentem ameaçados, desconfortáveis, com medo ou com dor. Sendo assim, qualquer cão pode morder. Muitas vezes, também o comportamento agressivo se confunde com brincadeiras. Filhotes adoram brincar de morder, mas isso não quer dizer que se tornarão agressivos. Cabe ao dono ensinar ao cão como brincar.

Se você realmente quer conquistar o respeito e o carinho do seu cão, em vez de tentar dominá-lo, aprenda a se comunicar com ele por meio de exercícios de obediência e, também, de entregas controladas de recompensas.

Recompensas: é disso que o cão mais gosta! Recompensas são valiosas até para a sobrevivência dele. Alguns exemplos entre as que mais costumam agradar: um biscoito, um carinho, a chance de passear ou de brincar. É uma ótima ideia controlar a entrega das recompensas associando-as a bons comportamentos. Para isso, ensine exercícios básicos de obediência como “senta” e “deita”. Sempre que você oferecer algo ao cão, peça antes que ele obedeça a um desses exercícios e só depois entregue.

Parceria: em vez de líder da matilha, seja parceiro do seu cão. Uma parceria é baseada em relacionamento no qual um parceiro leva em conta as necessidades naturais do outro e as respeita. Você é o responsável por ensinar essas regras ao cão. Se, mesmo assim, prefere ser o líder da matilha, seja um líder justo e não um ditador. Afinal, ser parceiro ou líder é apenas uma questão de terminologia. O importante mesmo é tratar o cão com carinho e respeito, usando um método baseado em recompensas, não em dominação física.

Nas próximas edições, explicarei como fazer a socialização, o treinamento básico de obediência e o treinamento preventivo contra a agressividade, trabalhos que convém começar quando o filhote está com 2 meses de idade. Mostrarei também como apresentar o cãozinho às diversas situações e como ensiná-lo a saber a se comportar. Na maioria dos casos, o treinamento leva de três a seis meses e é suficiente para evitar que o comportamento agressivo surja.

 

Se o cão for mordedor

Quando ocorre agressividade indevida, o primeiro passo é saber o que a motivou. Em parte, esses problemas podem ter origem física. Por exemplo, alguns filhotes, logo depois de serem vacinados, mordem quando pegos no colo.

O motivo é a dor que sentem na região onde a vacina foi aplicada. Problemas hormonais e no sistema nervoso também podem alterar o comportamento. Por isso, antes de concluir que a agressividade é de origem comportamental, convém consultar o veterinário.

Quando a agressividade não é motivada por problema físico, a recomendação é começar a corrigi-la o mais rapidamente possível. Em grande parte, os casos de agressividade podem ser modificados por meio de técnicas de adestramento baseadas em recompensas. Na maioria das vezes, os proprietários demoram muito parar reconhecer o problema e começar a trata-lo.. Isso resulta em grande dificuldade para a obtenção de bom resultado.

A intensidade do comportamento agressivo varia de acordo com cada indivíduo. O porte do cão que morde também influi: quanto maior, mais perigoso se torna trabalhar com ele. Convém, portanto, contar com acompanhamento profissional nessa atividade.
O treinamento corretivo pode levar de 3 a 12 meses. Quanto mais cedo começar, maior a chance de sucesso. Muitas vezes, nos casos mais graves, o que se consegue é atingir apenas um nível satisfatório para a boa convivência, com redução da intensidade e da frequência do comportamento agressivo, desde que o treinamento seja sempre mantido.

 

Como ensinar exercícios de obediência ao cão, filhote ou adulto, através de técnicas modernas e baseadas em recompensas? Leia na parte 2, clicando aqui.

 

André Barreto treina cães há 12 anos e é especialista em adaptação de cães para o convívio doméstico.

Tel: (11) 2503-7333. Site: www.andrebarreto.com