Homeopatia em peixes: quando usar?

Categoria: Aquarismo

Autor(a): Francisco Vilardo | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas - SP | 04/07/2016 - 12:09

Os princípios da homeopatia que dão certo no tratamento das pessoas funcionam também com os peixes. Veja como esse sistema terapêutico reconhecido pelo CFMV ajuda a restabelecer a saúde no aquário

iStockphoto/©EuToch

iStockphoto/©EuToch

A homeopatia tem se mostrado eficaz no tratamento de peixes ornamentais. Consegue curar doenças bacterianas, virais e fúngicas bem como eliminar diversos parasitos (é o caso de cestódeos, nematódeos, trematódeos monogêneos e digêneos, anelídeos sanguessugas, protozoários e crustáceos).
Para acabar com os parasitos, o medicamento homeopático interrompe o ciclo de vida deles, preparado com amostras dos próprios agentes patológicos, recebendo o nome de nosódio ou bioterápico.
Nos parasitos presentes no interior do organismo – os endoparasitos –, a homeopatia reduz gradativamente a postura de ovos e a recontaminação. Já nos ectoparasitos, que vivem sobre a pele, nas brânquias e em estruturas externas dos animais aquáticos, o medicamento bioterápico produz a absorção gradual das formas jovens encistadas, tornando-as frágeis e sensíveis, facilmente combatidas pelo sistema imunológico do peixe.


Saiba mais adquirindo a edição 445 da revista Cães & Cia.