Novembro Azul: campanha para o combate de câncer de próstata e testículos em pets

Categoria: Saúde

Autor(a): Carine Dahl Corcini | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas - SP | 22/11/2016 - 14:49

Diagnóstico precoce pode salvar a vida do seu cão ou gato. Saiba como você pode reconhecer a doença

iStock @ GlobalP

iStock @ GlobalP

Atualmente o câncer é a maior causa de óbitos em cães. Grande parte se dá pelo aumento da expectativa de vidas dos animais. Segundo dados do Serviço de Oncologia Veterinária da UFPel (SOVET), entre os anos de 2003 e 2015, cerca de 16% dos cães machos encaminhados ao setor de Patologia Animal da Faculdade de Veterinária (UFPel) possuíam algum tumor do sistema reprodutivo. Na maioria dos casos tais tumores são encontrados de forma acidental, não permitindo assim um tratamento precoce e efetivo.
Por este motivo tivemos a iniciativa em desenvolver e promover a campanha Novembro Azul, juntamente com a Dra. Cristina Gevehr Fernandes, Dr. Thomas Normanton Guim, MSc. Andreia Nobre Anciuti, MSc. Sara Lorandi Soares, Méd. Veterinária Marina Vianna Otte, e os graduandos Edenara Anastácio, Nathália Wacholz Knabah e Monike Quirino.
 
Sintomas
A campanha Novembro Azul tem como enfoque principal o esclarecimento aos proprietários sobre os fatores que aumentam o desenvolvimento e a metástase do câncer de próstata e testículo. Estes fatores podem ser observados pelo proprietário logo no crescimento do cãozinho, bem como na fase adulta. Os sinais de tumores testiculares ou próstata são:
 
- A ausência de um dos testículos na bolsa escrotal;
- Diferença de tamanho e consistência entre os testículos;
- Dificuldade de defecação ou micção;
- Efeminização (como urinar sem levantar a pata - como fêmeas ou atração por outros machos);
- Prepúcio pendular;
- Comportamento anormal como diminuição da libido, ginecomastia (crescimento dos mamilos), adotar outro animal, etc.
 
Importante ressaltar que cerca de 40% dos cães que desenvolvem câncer testicular apresentam mais de um tipo de tumor, que pode ser classificado como tumores das células de Leydig, seminomas e sertolinomas. Assim, diante de quaisquer observações citadas anteriormente o proprietário deve encaminhar o cão ao veterinário, pois o diagnóstico definitivo será obtido apenas através de exame histopatológico da biópsia do testículo ou da próstata.
 
Grupo de risco
Animais jovens que não têm desenvolvimento do aparelho reprodutor de forma adequada até os 6 meses de idade, têm maior probabilidade de desenvolvimento de tumores testiculares.
Animais adultos ou idosos têm maior probabilidade de desenvolvimento de tumores na próstata, por isso o acompanhamento pelo médico-veterinário é o correto.
 
Prevenção
O ideal para prevenção é que todos os animais sejam acompanhados por um médico-veterinário durante os primeiros meses de vida, pois é o profissional que poderá avaliar o desenvolvimento dos filhotes e verificar se o aparelho reprodutivo está se desenvolvendo adequadamente. E nos animais adultos será realizado o exame andrológico anualmente com avaliação criteriosa dos testículos e próstata, além de exames de imagem do aparelho reprodutor. Para a avaliação dos testículos, a ultrassonografia e radiografia são de grande importância. Aliado a esses dois métodos pode-se realizar exames citológicos dos linfonodos regionais para avaliação de possíveis metástases.
 
Tratamentos
Ao perceber quaisquer anormalidades, o tutor deve procurar imediatamente o veterinário, pois quanto mais precoce o diagnóstico, maior a chance de sucesso do tratamento.
O principal tratamento de todos os tumores do aparelho reprodutor é a castração, quimioterapia e/ou hormonioterapia de acordo com a prescrição estabelecida pelo veterinário.
 
Dra. Carine Dahl Corcini é professora na Faculdade de Veterinária - UFPel, orientadora de mestrado/doutorado da Universidade Federal de Pelotas e da Universidade Federal do Rio Grande. Publicou mais de sessenta artigos em revistas científicas internacionais e nacionais. Pesquisa e orienta teses e dissertações na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Reprodução Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: criopreservação, inseminação artificial, toxicologia reprodutiva, processamento de sêmen e marcadores de fertilidade.