Como evitar estresse e canibalismo no aquário

Categoria: Aquarismo

Autor(a): Francisco Vilardo | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas-SP | 04/04/2017 - 10:28

Para combinar adequadamente os peixes que compartilharão o mesmo aquário você precisa levar em conta diversas variáveis. Saiba como proceder

iStock/©mirceax

iStock/©mirceax

Aparente tranquilidade transmitida quando se aprecia um aquário nem sempre reflete o verdadeiro estado de espírito de seus habi-tantes. Há aquários em que, mesmo sem parecer, os peixes vivem em stress constante, com frequentes gestos de hostilidade. Motivo? Falta de planejamento adequado por parte do aquarista. 
A interação entre os habitantes do aquário é influenciada por diversas variáveis. Entre elas, o estágio de desenvolvimento (filhote, juvenil, adulto) dos peixes, as características de cada grupo familiar, o tamanho do aquário, a qualidade da alimentação e os diferentes portes das espécies.
Em aquariofilia não se pode pensar meramente em levar um aquário para casa, colocar água nele e povoá-lo com peixes. Devemos lembrar que estamos lidando com um hobby-ciência, que envolve biologia, comportamento animal, química, física e matemática. Sem essas noções, a manutenção da vida dentro da caixa de vidro e o seu equilíbrio estarão fadados ao fracasso.
Abordaremos, a seguir, as variáveis que influem na interação entre os moradores do aquário. O assunto não será esgotado, mas dará noções que permitem perceber a importância de cada item e, com isso, despertar interesse para aprofundar o conhecimento.
 

Acompanhe a continuação dessa matéria na edição 454 da Cães & Cia.