Atenção às doenças cardíacas em pets

Categoria: Educação/ Consultório

Autor(a): Total Alimentos | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 17/01/2018 - 16:17

5 dicas para você cuidar melhor do coração do seu animal

iStock/ Akchamczuk

iStock/ Akchamczuk

Cães e gatos também podem ter doenças cardíacas, como hipertensão, doença cardiovascular e outras enfermidades sérias. Mas, o tratamento farmacológico e uma dieta balanceada garantem qualidade de vida e longevidade para nossos melhores amigos. Confira as dicas do médico veterinário da Total Alimentos, Marcello Machado:
 
  1. Leve o pet ao veterinário: Um animal de estimação também precisa de check-up periódico porque só as visitas ao médico veterinário podem assegurar a boa saúde do pet e identificar enfermidades.
 
  1. Atenção aos sintomas: Os sintomas mais comuns de doenças cardíacas são: dificuldade para respirar, alteração da cor da língua, rejeição a atividades físicas, sono demasiado fadiga, sede e tosse. Caso seu cãozinho apresente algum desses sinais, procure a orientação de um veterinário.
 
Foto divulgação

 
  1. Alimentação saudável e balanceada: É essencial que o pet consuma alimentos completos, cuja fórmula contenha ingredientes selecionados e nutrientes fundamentais para o desenvolvimento ideal do animal. Por isso, recomenda-se evitar alimentos de consumo humano, que podem ter níveis elevados de sódio e não são indicados para a nutrição adequada do cão ou do gato.
 
  1. Atividade física: Brincar, passear pelo bairro ou  pelo condomínio. Reserve um tempo para seu amigo de quatro patas para que ele gaste um pouco de energia e, claro, calorias. Até mesmo os gatos podem passear com você se acostumados precocemente. Mas, lembre-se: cães braquicefálicos, aqueles com focinho achatado, como Buldogue Francês e Pug, precisam de mais atenção porque possuem mais dificuldade para respirar e se cansam muito mais facilmente.
 
  1. Pets idosos. Cães de raças pequenas são considerados maduros a partir dos 8 anos de vida; os cães de raças médias, aos 7; e os grandes a partir dos 6 anos. Os gatos a partir dos 7 anos. Portanto, nessa fase da vida, os pets precisam consumir alimentos específicos, que não tenham adição de sal, que contribuam para articulações saudáveis e que ajudem no retardo da progressão da doença cardíaca.