Viajar com o pet no Carnaval é possível! Veja como

Categoria: Convivência

Autor(a): Ceva Saúde Animal | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 26/01/2018 - 15:00

Muitos tutores pensam duas vezes antes de levar seus pets para viajar. Confira dicas para um feriado tranquilo!

iStock/ JPhilipson

iStock/ JPhilipson

O Carnaval está chegando e muitos tutores ficam em dúvida sobre levar ou não os pets nas viagens durante o feriadoPesquisas indicam que mais de 10% dos cães apresentam desconforto durante longos trajetos de carro. Entre as reações mais comuns estão sintomas como respiração ofegante, salivação excessiva, tremores e vômitos.

Ações como manter o animal em local ventilado e fazer pequenas pausas durante o trajeto podem ajudar a minimizar esses incômodos. No dia da viagem, o indicado é fornecer uma alimentação leve ao pet e não restringir a água. “As paradas para as necessidades fisiológicas e pequenas caminhadas devem acontecer de duas em duas horas”, explica a médica-veterinária e gerente de produtos da unidade pets da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec


iStock/ vitpho

Outra dica importante é nunca deixar o pet sozinho no carro. “O calor e ambientes quentes ou situações de estresse podem aumentar a temperatura do corporal do cão”, conta Priscila.

Acostumar o animal com o carro alguns dias antes da viagem pode fazer toda a diferença e ajudar no controle da ansiedade, agitação e medo. “O ideal é que o tutor leve o cão para passeios de curta distância, assim ele irá se acostumar com o veículo e ficará menos receoso no dia da viagem. Durante o treinamento e transportes, o tutor pode utilizar algum análogo sintético do odor materno canino ou feromônios para auxiliar na adaptação dos cães em situações​ adversa​s do dia a dia. Isso traz a sensação de segurança, conforto e bem-estar ao ambiente”, afirma Priscila.

O treinamento pode ser feito colocando o cão sentado no veículo enquanto ele está desligado. Na sequência, se ele se comportou bem, o ideal é recompensar e brincar com o animal para que o carro seja associado a coisas boas. O passo seguinte é incentivá-lo a entrar no carro com o motor em funcionamento, usando novamente recompensas na forma de brinquedos, elogios e petiscos”, explica.

As sessões de treino devem ser curtas para permitir que o animal se sinta à vontade e se acostume com o ambiente. “O treinamento somado ao uso do ADAPTIL irá permitir que a viagem se torne confortável para o pet e para todos os membros da família”, finaliza Priscila.

(Veja aqui mais 5 dicas imperdíveis para viajar com seu pet sem estresse)