Infecção urinária em cães causa sérias complicações. Aprenda a detectar os sinais

Categoria: Educação/ Consultório

Autor(a): Zoetis | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 16/02/2018 - 16:44

O cão pode demorar para demonstrar os sintomas, o que dificulta o diagnóstico. O tutor deve ficar atento ao volume e à cor da urina, mudanças de comportamento e dores apresentadas pelo animal

iStock/ BENCHAMAT1234

iStock/ BENCHAMAT1234

A infecção urinária em cães é bem comum, mas detectar os seus sintomas não é tão fácil, pois o cão nem sempre demonstra que está sentindo dor e incômodo. “Por isso, é importante ficar atento ao comportamento do animal, pois quanto mais rapidamente for tratada a doença, menores as chances de haver complicações, por exemplo, infecção renal”, alerta o médico veterinário e gerente técnico e de pesquisa aplicada para animais de companhia da Zoetis, Alexandre Merlo.


iStock/ Nathanx1

Quais são os sintomas?
Dificuldade para urinar, urinar aos poucos ou em locais não habituais, urina com odor ou coloração anormais (mais amarela, turva ou com presença de sangue), febre, falta de apetite e desânimo podem ser os sintomas observados”, explica Alexandre.
Embora o problema possa ocorrer em qualquer cão, é mais comum em cadelas. A infecção urinária também pode levar à formação de cálculos na bexiga, os quais dificultam o tratamento. Ainda, animais em idade avançada  e/ou portadores de doenças, como diabetes mellitus e inflamação da próstata, correm riscos mais elevados  de desenvolvimento da doença.



iStock/ studioportosabbia

Como evitar a infecção urinária em cães?
Para evitar a infecção urinária em cães, as recomendações do especialista são: estimulá-lo a beber bastante água, manter a higiene adequada do animal com banhos regulares, evitar que o cão seja sedentário e controlar a sua dieta conforme a orientação do médico veterinário.
 
Tratamento para infecção urinária em cães:

O tratamento da infecção é feito com antibióticos. “Consulte o seu médico veterinário sobre as opções de produtos disponíveis mais adequadas para a infecção”, recomenda Alexandre.
“Estudos revelam que 29% dos tutores falham ao dar medicamentos aos seus animais, muitas vezes por esquecimento. Nestes casos, as bactérias conseguem sobreviver ao tratamento, o que dificulta a cura da infecção”, alerta o veterinário. Por isso, ao menor sinal da doença, consulte seu veterinário de confiança e fale da sua rotina para que ele possa examinar seu pet e indicar o melhor tratamento para ele.