Matheus Nachtergaele e sua paixão por Setter Gordon

Categoria: Convivência

Autor(a): Samia Malas | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas/SP | 11/04/2018 - 15:11

Conheça o lado cinófilo do ator e sua dedicação aos Gordons do canil Pássaro da Noite

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Muitos o conhecem e o admiram por suas atuações no cinema, televisão e teatro, consagradas na grande mídia por obras como “O Auto da Compadecida”, “Tapete Vermelho” e “Cidade de Deus”, mas poucos conhecem a paixão do ator Matheus Nachtergaele pela raça Setter Gordon. Fascinado por esses elegantes cães desde a infância, Matheus descobriu o mundo dos Setters em campanhas publicitárias, nas quais eram amplamente usados, enciclopédias caninas e livros. “Quando tinha 10 anos, meu pai me presenteou com um Setter Irlandês, tamanha era minha vontade de ter um cão da raça”, relembra o ator, que conseguiu adquirir seu primeiro Gordon apenas na década de 1990. Era Run of Brotherwood, ou Luzia para os íntimos, uma fêmea argentina que fazia parte do plantel de Mauro Atalla, introdutor da raça no Brasil. “Podemos dizer que hoje muitos Gordons do Brasil ainda carregam o nome de Luzia em seu pedigree”, aponta ele. Contudo, quando Matheus teve que se mudar para um apartamento no Rio de Janeiro sua paixão por Gordons teve que ser, mais uma vez, adiada. “Gordons não são cães de apartamento. Já recuperei um filhote vendido quando soube que o comprador havia se mudado para um apê”, conta o ator, que é zeloso com seus cães. Assim, Matheus se viu obrigado a doar Luzia para o canil Gerald’s, em Canela, RS, derradeiro criador da raça àquele tempo e adquiriu alguns Griffons de Bruxelas, raça responsável pela fundação do canil Pássaro da Noite. “Tenho dois exemplares até hoje”, diz. Porém, há 10 anos, Matheus conseguiu voltar a se dedicar aos Gordons que permanecem parte em sua casa no Rio de Janeiro, onde ele vive, parte em um sítio em Minas Gerais. “Os cães que estão em campanha ficam com o handler Fabiano Mattos, em Guapimirim, RJ”, acrescenta. Desse modo, sempre tem alguns cães ao seu redor. “Gosto muito de fazer trilhas com eles. Para isso, além dos Gordons, também tenho dois Bracos Italianos”, revela. 
 

Adquira já sua a edição 466 da Cães & Cia e  leia a entrevista com o ator na íntegra.