Meu cão não para de latir no portão, o que fazer?

Categoria: Educação

Autor(a): Tiago Cardoso | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co. | Cidade: Campinas | 04/09/2018 - 16:56

Veja 6 motivos que levam o cão a latir no portão e aprenda a acabar com esse problema

 iStock/ Chalabala

iStock/ Chalabala

Cachorros latem. Alguns mais, outros menos, mas todos latem. Latir é a forma mais comum de os cães se comunicarem e se expressarem entre eles e com nós, humanos. Latir é como se fosse o nosso falar. O problema é que alguns cães latem em demasia e sem motivo aparente, e o barulho acaba tornando-se um problema para o seu tutor e, muitas vezes, para a vizinhança.

Tutores que têm animais com esse hábito geralmente focam seus esforços em silenciar os cães. No entanto, o que deve ser pensado nessa situação é o sinal que está por trás dos latidos, ou seja, o que eles estão sinalizando. É necessário descobrir a razão do comportamento, pois somente assim será possível cessá-lo. Neste artigo tratarei especificamente de cães que latem no portão

A primeira atitude, então, é identificar a origem dos latidos em excesso. A partir daí, será possível eliminar a motivação do animal e tentar minimizar aqueles que forem excessivos. Existem alguns motivos que podem levar um cão a latir de forma contínua no portão de casa. Veja a seguir quais são eles. 

 

1-) Cães que latem por estresse

Para os cachorros que ficam estressados ou se sentem ameaçados por outros animais, pessoas, carros, motos que passam em frente do portão ou que latem apenas para interagir com outros cães ou animais, a solução mais simples é tirar o seu amigo dessa parte da casa e/ou impedir que ele veja o que acontece na rua, e para isso podemos utilizar lonas, tapumes, papelão etc.

De forma geral, os cães latem para algo que podem ver e, ao impedir sua visão, bloquearemos a fonte de aborrecimentos, promovendo momentos mais tranquilos para eles. 

 

2-) Falta de bem-estar

O cão pode estar com fome, com frio, doente ou com dor. Assim, é importante verificar se o peludo não está infeliz ou em alguma dessas situações que, muitas vezes, levam o pet a vocalizar sem parar. É obrigação do tutor resolver esses problemas e promover bem-estar e qualidade de vida ao bichinho. 

Cães que passam o dia inteiro amarrados em algum ponto do pátio, por exemplo, tendem a latir sem trégua. Muitas vezes o seu latido pode ser um chamado ao dono, para que este venha resgatá-lo.

iStock/ sjallenphotography

3-) Latir por tédio

O cão pode estar estressado, entediado, ansioso ou se sentindo sozinho. Ou seja, nesses casos, os latidos no portão também podem ser um comportamento autossatisfatório, ou seja, por falta do que fazer o animal acaba latindo sem parar até se cansar. Nesses casos, a dica é proporcionar um bom enriquecimento ambiental para o peludo e oferecer diversas atividades em momentos de solidão. 

Para isso, podemos deixar brinquedos interativos que soltam alimento, como uma garrafa PET com furos e cheia de petiscos, cocos verdes (vazios e limpos) para o cão destruir, caixas de papelão com algo dentro, meias com bolas e petiscos dentro. Esconder alguns alimentos pela casa e deixar que o animal passe um tempo procurando também é uma boa pedida.  

4-) Energia acumulada

Para o cão que late demais por não gastar sua energia diária, dê atividades regulares, como passeios diários, brincadeiras, interação com os donos, sessões de treinamento e tudo o que for possível para gastar a energia do peludo e fazê-lo feliz e saudável. Também promova enriquecimento ambiental ao cão, como dito na dica anterior.  

iStock/ Canonmark

5-) Alertar o tutor

Ele pode estar tentando alertar a família sobre a presença de um intruso, de algo que viu, que farejou ou que seja suspeito. Na maioria das vezes, esse tipo de latido é positivo, visto que pode representar a preservação da vida do tutor.

O problema aqui é se o latido for para algo que o cachorro julga perigoso, mas que na verdade não apresenta perigo algum. Nesses casos, devemos deixar claro para o cão que o tutor é o líder da matilha e, portanto, é ele quem define as atitudes que serão tomadas.

O cão que vê o seu tutor como líder e observa que este está tranquilo, em uma situação em que ele acreditava representar um perigo, muito provavelmente também se acalmará e cessará os latidos.

Uma alternativa é ensinar um comando de voz para o animal ficar em silêncio. Isso demanda bastante treinamento, paciência, consistência e persistência. Comece o treino em momentos em que o cão esteja calmo e em um ambiente mais tranquilo.

Incentive-o a latir e após alguns latidos dê o comando de voz “quieto”, por exemplo, e mostre um petisco. A tendência é que ele pare de latir, porque é difícil latir e cheirar ao mesmo tempo. Assim que ele parar de latir, elogie-o e dê-lhe o petisco. Repita esse treino várias vezes. Com o avanço, aumente o tempo de silêncio antes de entregar o petisco. Por exemplo, comece com dois segundos, vá para cinco, 10 segundos e assim por diante. 

6-) Chamar a atenção

O cão pode estar querendo chamar a sua atenção. Assim, ao promover as atividades sugeridas no item “Latir por tédio”, é preciso tomar muito cuidado para não incentivar o amigo a latir cada vez mais. Vou explicar!

Ao chamar pelo dono latindo e ser atendido, o cachorro vai se habituar a vocalizar mesmo que nada esteja errado com ele ou com o ambiente. Ou seja, ele vai ter essa atitude apenas para ganhar a sua atenção. Essa será a sua recompensa. Nesses casos, o tutor deve tentar resolver qualquer problema que o animal esteja vivenciando apenas quando ele não estiver vendo. Por exemplo, seu cachorro estava latindo porque sua cama está molhada. Peça para que alguém o distraia e, enquanto isso, troque o seu cobertor sem que ele veja.

É preciso manter o autocontrole e evitar gritar com o cão quando ele estiver latindo. O cachorro pode interpretar isso como uma aprovação ao seu comportamento, já que, novamente, teve a sua atenção. Ele pode até achar que você está latindo junto com ele e, muito provavelmente, continuará latindo achando que vocês estão brincando juntos.