Cachorro que puxa no passeio

Categoria: Educação/ Consultório

Autor(a): Luciene Cagiano | Colaborador(es): Jornalismo Top.Co | Cidade: Campinas/SP | 25/03/2019 - 16:59

Aprenda a solucionar esse problema tão comum e torne o momento mais esperado do dia divertido para você e para o pet

Foto: K_Thalhofer/iStock.com

Foto: K_Thalhofer/iStock.com

É muito comum ver cães que (literalmente) levam os seus donos para passear, o que normalmente torna o passeio desagradável para ambos. Ensinar o cachorro a andar sem puxar a guia não é uma tarefa fácil, mas não porque o pet não seja capaz de compreender como ele deve agir - talvez ele não esteja sendo sinalizado de forma clara. Muitas pessoas não são consistentes, ou seja, sentem dificuldade em passar sempre a mesma informação para o cão, algo que faça sentido para ele. Essa falta de consistência é o que dificulta o sucesso nos treinamentos. 

 

Quando falamos em passear sem puxar, muitos pensam que o cachorro precisa estar em uma posição específica no passeio. Outras, no entanto, consideram suficiente só o fato de o pet não puxar a guia, independentemente do lado em que ele estiver caminhando. Não importa o que você acredita ser o passeio ideal, o importante é passar sempre a mesma informação para o cão.

 

Papel da guia

 

Para que o cachorro ande sem puxar precisamos ter uma guia, que vai informá-lo sobre o limite que ele pode andar distante de nós. As guias devem ser leves e resistentes, com no mínimo 1,5 m de comprimento. As coleiras contra puxões também são uma maneira gentil de conduzir e controlar o cão (no mercado pet existem muitos modelos). Esse tipo antipuxão tem o engate frontal e deve ser preso na frente do peito do cachorro, assim, toda vez que ele tentar puxar, acabará se virando para o condutor e redirecionando a atenção. Isso evita que o animal se machuque, como no caso do uso de enforcadores. 

 

Quando o cachorro já puxa a guia no passeio, é preciso evitar o uso de peitorais até que o pet aprenda a andar corretamente. O peitoral faz com que o cão ganhe mais força para puxar, pois ele terá um apoio no peito, como os cães que puxam trenó.

 

É muito comum tutores terem uma relação baseada na guia. Nesse caso, o cachorro não fica ao lado do dono porque ele compreende que isso é o certo, mas porque tem uma guia que o segura. Isso acontece quando não há uma boa comunicação entre tutor e cão (e não estou nem dizendo que exista agressão ou algo do tipo). É uma relação em que o cão gosta de estar perto do dono, e não a procurar uma oportunidade de se afastar para buscar outras coisas interessantes para ele, como cheirar e interagir com outros cães. Contudo, somente a guia não é suficiente para fazer com que o cão pare de puxar. Até porque o animal não entende que a distância final da guia é o seu limite. Temos que imaginar que se uma guia tem 1,5 m, esse seria o limite aonde o cachorro poderia chegar - o pet deveria entender que tudo o que ele tem acesso é o que está a uma distância de 1,5 m somente, e ele só irá chegar ao que estiver fora dessa medida se você der o aval. O que não fica claro para o cão é que muitas vezes que ele puxa a guia para chegar onde quer, a guia cede. No momento em que o tutor cede um centímetro, está passando a informação para o cachorro de que a guia não é um limitador definitivo e que puxá-la é a forma correta de chegar onde ele deseja.

 

 

Como ensiná-lo?

O correto seria que os passos listados a seguir já fossem estabelecidos desde a primeira vez que a guia fosse colocada no cão. Mas quando ele já é adulto e tem o hábito de puxar, corrigir o erro fica mais complicado,
pois já existe um comportamento estabelecido. Mas independentemente disso, o critério e a consistência do treino devem ser mantidos. Vamos às dicas:

 

 

Foto: monkeybusinessimages/iStock.com

Recompense o cão sempre que ele estiver perto, sem esticar a guia

 

 

Passo 1

Ande em linha reta e incentive o cão a caminhar. Quando ele se mantiver perto sem esticar a guia, recompense-o. Se ele puxar, pare o passeio e assim que ele afrouxar a guia reinicie. Repita várias vezes até que ele entenda que o passeio será interrompido toda vez que ele puxar.

 

Passo 2

Incentive o cão a andar e se ele começar a puxar a guia mude a direção fazendo uma volta de 180 graus no sentido oposto. O animal vai perceber que o passeio muda de direção quando ele puxa a guia.

 

 

Postura do tutor

O tutor deve ser claro e manter a calma para ensinar o seu cachorro. Isso fará com que o treinamento seja mais eficiente e que o pet confie no tutor. Cada cão tem o seu tempo para aprender. Aproveite o treino para conhecer o do seu animal e veja em quais pontos ele se sai melhor e quais ele tem mais dificuldade. Ajude-o a acertar - esse é o segredo do bom treinamento.

 

Comece o treinamento dentro de casa e vá aumentando o nível de exigência e estímulos gradativamente. O passeio deve ser uma atividade física e mental, e o cachorro muitas vezes vai prestar atenção em outras coisas que são naturais para ele, como cheirar e explorar. Por isso temos que estar atentos: recompense o cão sempre que ele estiver ao seu lado, seja com carinho ou petiscos, pois ele precisa ser parabenizado por isso!

 

Um cachorro que se comporta bem na guia tem uma vida muito melhor. Aproveite esse momento do passeio para treinar e aumentar o vínculo com o seu melhor amigo. Preste atenção nos sinais que ele demonstra e como ele se comunica com você e com o ambiente. E bom passeio! 

 

__________________________________________

 

LUCIENE CAGIANO,  

Franqueada e adestradora da Cão Cidadão, de Cotia, SP