Nanismo em cães: causas e cuidados específicos

Por Aline Guevara

Nick (cão da esq.) e seu irmão Larry nasceram muito parecidos (foto à esq.), mas com o tempo a diferença foi ficando muito grande – Fotos: Arquivo pessoa

Pet anão pode ter “eterna” aparência de filhote, mas condição reflete uma mutação genética

Como muitos filhotes de cachorro que vêm de uma mesma ninhada, os irmãos Nick e Larry nasceram muito parecidos. Da raça Pastor Alemão, eles tinham todas as características típicas para a sua idade. Mas, conforme as semanas se passavam, a tutora deles, a fonoaudióloga Renata Herthel Bertola Sfredo, e sua família começaram a perceber que os dois filhotes ficavam cada vez mais diferentes. Enquanto Larry seguia no desenvolvimento esperado, Nick ficava para trás. “Ele era mais ‘atrasadinho’ em tudo. Demorou mais para abrir o olho, para andar, para aprender a comer, para subir nos degraus da escada. Por fim, o desenvolvimento do tamanho começou a ficar bem gritante”, conta Renata. Ao levar Nick para uma avaliação na clínica veterinária, veio o diagnóstico: nanismo.

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar


Clique aqui e adquirá já a edição 489 da Cães & Cia!