Solar Wonderful: criação de Mastiff Tibetano no Brasil

Criadora Fabiana Fonseca e o primeiro casal de Mastiffs de seu plantel: Nagu (à esq.) e Mullan – Foto: Johnny Duarte/Canil Solar Wonderful

Desde 2016, a criadora Fabiana Fonseca, que já é referência na criação de Dogue Alemão, tem se dedicado também aos tibetanos

Fundado há 22 anos, o canil Solar Wonderful, de Balneário Camboriú, SC, é reconhecido há tempos pela criação de cães gigantes. Há 16 anos, é o melhor do Brasil em Dogue Alemão Arlequim pela Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC). Desde 2016, a criadora Fabiana Fonseca tem se dedicado também ao Mastiff Tibetano. “Conheci os tibetanos quando fui à Rússia para assistir ao World Dog Show e também adquirir dois exemplares de Dogue Alemão, fazendo amizade com Yulia Orlova, criadora de Dogues Alemães. No retorno ao Brasil, tive problemas com a minha reserva aérea e fiquei hospedada na casa de Yulia, que também possuía tibetanos. Me apaixonei pelo ‘Mazai’ e voltei ao Brasil com minha primeira tibetana, a Mullan, em um contrato de copropriedade internacional e raro”, compartilha Fabiana que, hoje, já possui tibetanos nascidos no Brasil, totalizando 15 exemplares. Para acomodar tantos gigantes, foi preciso realizar alguns ajustes no canil, embora já fosse projetado para cães gigantes. “Os quartos e piquetes tiveram que ser reformados, pois a raça exige segurança máxima. Todas as divisas com vizinhos da propriedade foram reforçadas”, exemplifica Fabiana, que ainda teve que fazer mudanças na rotina do canil. “Como os tibetanos não toleram estranhos, treinamos dois funcionários e os volantes que vêm nos finais de semana para seu manejo. Horários, uniformes e procedimentos devem seguir uma rotina rígida”, revela. 

Como são cães de matilha, os tibetanos se relacionam super bem com os demais cães do canil. “Tenho dogues que dormem nos quartos com tibetanos. E, durante o dia, tenho vários cães pequenos que transitam normalmente entre as patas dos tibetanos e dogues soltos. Só os machos que devem ser separados”, aponta a criadora.

A próxima ninhada de tibetanos está prevista para julho ou agosto de 2021, porém, ser um tutor de tibetano não é para qualquer um. “Poucos são dispostos a seguir regras e condições impostas por nós”, finaliza. 


Por: Aline Guevara

{PAYWALL_FIM}


Clique aqui e adquira já a edição 491 da Cães & Cia!